Omninvi :: Invii demanda sapientia

Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Sinto falta de regulamentação!

Sem comentários
A regulamentação nos países democráticos tem se mostrado nula ou insuficiente, não proteje o consumidor final em nada, contudo consegue estar a iludir que se está a trabalhar nesse sentido. Então além de viver numa democracia não democrática, onde o poder politico é uma mera ilusão, ainda tenho o conveniente, regulamentação a proteger o capital e não o povo. Tenho operadores de telecomunicações a roubar dentro da lei, leis que servem para uns e não para outros, e gigantes a monopolizar e tentam-me convencer que não. Que é isto!? A fraca ou inexistente regulamentação de software esta a permitir abusos de gigantes e fraca distribuição, assim o distribuidor ganha, o produtor não é valorizado, e tentam-me convencer que andam a lutar contra a pirataria, quando os politicos com a fraca regulamentação são os principais motivadores e influenciadores da pirataria, a sua propria luta faz a pirataria existir, parece paradoxo, mas é a realidade. Os distribuidores neste momento são um cancro, pois desiquilibram o sistema económico, a culpa é dos politicos que são meros seres reativos! Onde estão os politicos revolucionários? Lolada, eles não existem, o politico é um ser reativo e nunca vai criar soluções dignas, senão vejamos, estámos à séculos com os mesmos problemas, dizem-me que evoluímos, contudo a mentalidade e problemas base do ser mantêm-se, evoluímos o quê? Como sociedade não existe nenhuma sociedade evoluída, existem sociedades desenvolvidas materialmente, capazes de destruir mais do que outrora, mas isso é o caminho destrutivo normal, e destruir sempre foi fácil, criar o homem não é capaz, não tem esse conhecimento, o humano é um ser meramente transformador, e tem transformado vida em lixo, evoluímos o quê? Ficamos especialistas a acelarar o processo destruidor normal. E neste processo o humano mostra-me fraca observação dos problemas reais e uma enorme falta de ética. Assim está a regulamentação, vejo o abuso de gigantes e reacções de minorias, pois são poucos os que tem capacidade para perceber estes abusos, não vejo vontade politica para resolver os assuntos base, existem sempre desvios. Assim fico triste e com vergonha de ser humano, pois ao conhecimento que temos já conseguiamos mais e melhor, se o povo não estivesse tão ignorante e a vontade politica se focasse em resolver os problemas base, antes de tentar resolver problemas maiores ou previligiar o capital. A regulamentação/fiscalização é a chave para uma sociedade evoluída e de sucesso contudo o ser consegue ser ilubriado e estas organizações que deveriam ser um pilar, são uma mera palhaçada e existem para parecer bonito e que se faz algo, mas no fundo a sua existência actual é uma mera ilusão, pois nada estão a fazer. No processo ainda vou ter uma instituição que diz proteger o consumidor, mas só tenho direito a esta defesa se pagar. E a própria existência e necessidade desta instituição mostra por si só que o consumidor não está correctamente salvaguardado. Mas pensando Zen está perfeito, pois está como sabemos no agora, mudança todos dizem que querem mas ninguém tem vontade de mudar, pois a mudança é difícil e complicada. Assim vivemos no mundo perfeito que fazemos, o planeta é o paraíso que estamos a destruir, e a maioria pensa estar bem, não se apercebendo da destruição que provoca.

domingo, 24 de abril de 2016

Luz por te observar

Sem comentários

Impossibilitado de mais amar
Não me posso declarar
Estado de celibatário involuntário
Sincero, triste e no fundo otário.

Olho-te com vontade de mais partilhar
Já são mais as virtudes encontradas,
do que os defeitos a tolerar.
E sonho, é imaginar-nos de mãos dadas.

A realidade fica pelo observar,
conforto não te posso dar.
Assim contenho a vondade,
E escondo a realidade,
omito a verdade,
evito demonstrar,
que mais quero te amar.

E hoje uma delicía para meu olhar,
momentos em que te pude observar.
Viva estas para encantar,
Flor que me impeço de cheirar,
que teria todo o prazer em mais amar.

Mas sou realista,
aceito a minha condição.
Começar uma conquista,
viver a paixão,
e depois não continuar,
é para mim fraco amor,
assim compreendo e prefiro,
esta dor.
Fico no meu retiro,
aguardando o momento da possibilidade,
em que cheirar-te é uma realidade.

E hoje contente,
pude observar,
aquela que queria mais amar.

E assim um dia excelente,
Onde um seu gesto inocente,
foi luz para esta mente.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Transgénicos fora, estou de acordo.

Sem comentários


Já é tema que me preocupa faz algum tempo, verifiquei online que não sou o único, então ativei o bloco de ativismo, onde tem o endereço com todas as informações sobre o assunto.
Quem assinou transgênicos em Portugal?
No universo português quantos sabem o que são transgênicos?
Quantos estão a par das consequências?
Já perguntei a muita gente e notei a ignorância sobre a matéria.
E referendo? Grande democracia!
Quantos compram transgênicos na ignorancia? Sem saber os males! A pensar que compram produto biologico!

Cuidado os governantes provaram que não se preocupam com o povo!

E as comissões de ética mostraram que não tem força, ou até ética para existirem, pois o seu trabalho mostra-se nulo.

Cuidado na compra, o biologico não apareceu por acaso!