Omninvi :: Invii demanda sapientia

Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Os métodos

Sem comentários

De cento e doze,

Precisas de um para a origem,

Mas para o agora,

Presisas só de um,

A fé.

Já defini para não teres dúvida,

Não tens que acreditar,

Apenas precisas praticar.

Tu no agora,

Com o todo que te rodeia,

Torna a tua vida cheia,

Não andes a flutuar,

Aprende a amar.


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Parem com a futurologia!

Sem comentários

Não coloquem as crianças a imaginar o futuro!

Parem com o que querias ser!

Ensinem o que ela quer saber,

Nem que seja pelo metodo mais burro!

Aprendeu? Ficou a saber?

Esperemos que use.

Pois para agora era para saber.


Hoje, agora

Sem comentários

Começa hoje a praticar o agora,

Faz com totalidade, tu com o todo,

Como sentes verdadeiro.

Confia no sentimento ele não mente,

Parece matemático,

Pois torna o viver cientifico.

Aprende os metodos e pratica.

E sentirás o verdadeiro,

E tu e o todo tornam-se amor,

Vazio, harmonia, compreensão,

Verdadeiro.

Como o todo merece.

Pára de aceitar o falso,

Pára de acreditar,

Pára com a futurologia,

Vive agora.

E agora vais ver ou continuar a ler?

Sentiste totalidade nas palavras?

Sentiste o mestre?

Mas ele tentou,

Mas não totalmente.

Pois totalmente,

Só na sua presença.


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Existe ciência no viver, então é so preciso ensinar

Sem comentários

A experiência de vida não é empirica,

Apenas não te ensinaram os metodos correctamente,

E tu ao captares parte, vais na corrente.

Quando praticares os métodos,

Vais concluir que viver é cientifico,

E de nada serve equacionar o amor.

Para quê? Vais-te satisfazer com a formula?

Ou com a experiencia do amor?

Queres a formula para quê?

Sabes que és amor?

Sabes que és vazio?

Segue o teu caminho,

Mas usa um metodo.

Se não como sabes o que andas aqui a fazer!

O zen diz que esses, dormem, vivem sonhos.

Acorda, pede o zen.

Sê tu com o todo do agora,

Conclui depois primeiro pratica.


A educação no meu país

Sem comentários

Ontem estive no grupo, a uma dada altura verifiquei a dificuldade que uma criança estava a ter para perceber simples definições matematicas. Deu-me vontade de experimentar um metodo, algo que falo de duas ferramentas, sua utilização e com um circulo, ou circunferência ou sol como me disse o miudo e amei a sua comparação. Mas só interrompi no fim, algures entre a aula de matemática e a de inglês.

Mostrei em tão o sol, feito com a ferramenta, compasso, fiz entende que o transferidor é metade, e a matematica mostra, o limite do transferidor é 180 graus, logo vezes dois dá 360 graus, foi percebida a totalidade, mas até aqui, já tinha o sol, a linha do horizonte, fiz a vertical, mostrei que dividia em partes, e peguei numa parte, quanto era em graus? 1/4 era igual a 90 graus, e agora para chegar ao todo, 90x4.

Não interessou se o sol esta a por, ou nascer, interessou identificar as rectas e perceber um pouco de angulos.

Tracei uma paralela, mostrei os pontos comuns com  a linha horizontal, mas as duas verticais não se cruzam, não tem ponto comum, nunca de vão cruzar, como uma linha de comboio, amei a associação, mostrou entendimento.

E nas perguntas finais as dúvidas tinha ido embora, perguntei se curtiu e ele sorriu e disse que sim, rematei que só no teste é que me mostra que aprendeu.

E ele entendeu a horigem do horizontal, pois mostdei-lhe a linha do horizonte, onde estava o sol.

Não dei mais saber, porque fui travado, ele ainda não deu isso. Parei triste, pois ficava já com este saber arrumado.

Em conversa com o amigo de infância descobri que ele é mesmo forçado ao metodo, metodo que pode servir para uns e não para outros e se a minha mestre de matemática soubesse disto e estivesse bem, ui que chamadas de atenção ela iria fazer, mas eu seu pupilo e da vida vou tentando, bocadinho a bocadinho, ensinar saber como deve ser, porque fazer entender é mais importante do que o metodo, o metodo quantos mais tens, mais ferramentas tens ao dispor para fazef entender.

E  cheguei mesmo a dizer ao meu amigo, se precisares de alguem para receber culpa, cá estou. Culpa-me de ter feito a criança entender e ficar a saber.

À noite com uma criança, filha de um amigo, acabei por arranjar uma folha e brincar com a roda novamente,

Estava a 60% mas penso que ficou sem dúvidas agora e ainda lhe mostrei a do portugues e a matematica, quando um amigo tentou dizer que saber interpretar portugues em problemas matematicos é importante.

Se o metodo não funciona muda-se, forçar só um não é produtivo, não aprendemos todos da mesma maneira, mestre é aquele que reconhece o melhor método para quem esta a receber o ensinamento, porque o produto Final é que conta.

Interessa aos pais verificar se sabe, isso pode fazer um dois exercicios, do que verificar que fez muitos, pois muitos em dúvida dá abertura para falhas.

E se o pai não sabe a tecnologia ajuda, ou não sabe usar a internet!


quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Egos da treta

Sem comentários

Saramago, ateu, atacou.

E a atacar a igreja,

Recebe um nobel.

Falou ao mundo!

Eu, agnostico,

Não ataco, corrijo o problema,

Partilho o segredo.

Cago no nobel,

Falo para amigos,

Escrevo passado quando me apetece,

Mas quando escrevo, escrevo história.

Por hoje chega.


Conta de Deus

Sem comentários

Se três,

Foi a conta que Deus fez.

Fiquem com Amor, Verdade e Respeito.

E fica feito.


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Comprar paz ou zen

Sem comentários

A paz e o zen,

Não se compram,

Conquista-se e vive-se.


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Zen

Sem comentários

Víva o zen,

Que se foda o zen,

Vou sentir o todo,

A todo o momento.

Amá-lo.


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

E como amo, não ser

Sem comentários

Antes queria ser algo,

Algo de bom, algo que amá-se.

Algo que pela paixão transformá-se.

Agora deixei de ser,

Amo tudo,

Não sou,

Mas outros dizem que sou algo.

Esses apenas me mostram que não sabem.

Pois ao deixar de ser,

Apenas sentirás o meu espirito rebelde e livre.

E deixei de ser um problema,

Sou parte da solução.

Deixei de olhar para a história,

De basear-me na hostória em demasia,

Deixei as loucuras ideológicas,

Deixei de querer a minha paz,

Pois essa conquistei.

E não sendo, escrevo e faço história.


Philo philos pacem


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Acorda e delicia a existência

Sem comentários
Quem sou não importa,

se procuras a verdade,

não me batas à porta.

Olha dentro de ti com honestidade,

deixa de te enganar.

Esquece o no exterior procurar.

Pára por um momento,

e ao olhares para dentro,

a existência vais abraçar.

Depois, volta ao movimento,

Pois é preciso viver.

A dormir não delicias o momento,

a dormir pensas que viver é sofrimento,

a dormir iludem-te com esperança e acreditar,

e nem sentes o cheiro do amar.

Acordado passas a saber,

acordado, abraças a existência,

acordado, terminas a demência,

pois um fim à imitação,

deixas de ser um actor.

Quem imita é a criança,

pois nem sabe que é amor.

E matas a esperança,

porque o futuro é agora,

corrigir é na hora.

E tudo ficará perfeito,

até aparecer melhor feito.



Philo Philos Pachem


Até por acaso

sábado, 7 de dezembro de 2013

Farto dos insultos capitalistas

Sem comentários
Nestes últimos meses tenho andado a jogar jogos de estratégia no android. Não havia muitos à alguns largos meses atrás contudo têm aparecido alguns e agora a oferta esta boa, existe para todos os gostos, mais conceito ou mais real, mais acriançado ou mais adulto.
Mas neste artigo vou falar como até nos jogos se nota o capitalismo e a falta de cultura e de como me senti insultado por algumas empresas de jogos. A solução foi simples, desinstalei o jogo e nunca mais quererei saber daquelas empresas, ou seja mesmo que agora lancem alguma coisa nova e até bem feita, para mim morreram. É assim que se mata o capitalismo, não se compra, não se investe e com o tempo o que não interessa é anulado. Mas ficou provado que o mercado não regula, ou seja que se consegue manipular as pessoas a comprar o que não interessa, mas isso só acontece com pessoas adormecidas. Pessoas acordadas não apoiam lixo, nem dão dinheiro para coisas sem assunto.
Mas como notar o capitalismo num jogo? Como todos que jogam sabem, agora os jogos vêm com o cheat universal, ou seja o dinheiro, como sistema financeiro e de apoio ao jogo, permitindo evoluir mais rápido no jogo. Assim é feito um estudo de mercado e se interessa então faz-se, pois vai dar dinheiro.
Este método ataca a cultura e as origens, dou o exemplo de Portugal, país origem do Português, língua que alguns jogos já disponibilizam, mas feito o estudo quais são os elementos do português que interessam? Os brasileiros, e assim olhando a números e não a origens e cultura tenho visto alguns jogos a colocarem a bandeira brasileira e a portuguesa nem vê-la.
Desinstalei todos os jogos que o fizeram, pois enviem mail a todos e apenas tive resposta do auto-responder, que consideração.
Nem me dou ao trabalho de falar com o nosso representante estrangeiro, pois atentados à nossa língua e cultura, vi na altura do Euro bem pior.
Pois os Chineses foram capazes de fazer bandeiras nacionais com castelos chinocas e não vi um português a queimar uma bandeira que só era barata, pois não era nacional. Se fosse um americano, talvez tivéssemos assistido ao queima do lixo, somos portugueses comemos até lixo!
Estou farto destes brandos costumes, desta tolerância desnecessária e se têm orgulho das origens reclamem sempre que se sentirem insultados, sempre que a razão estiver do vosso lado, sempre que fizerem o correcto e forem chamados a atenção, medo de quê?! Para quê aceitar condicionamentos de merda, que não zelam pelo bem estar comum e individual.
Hoje foi o meu limite, recebi uma actualização num jogo, a típica imagem de natal, fica bem, e não vi a bandeira nacional, não recebi email de resposta depois de mais de uma semana, então a guerra é simples, jogo desinstalado e empresa apontada, pois nesta empresa não confio mais e nada mais instalo deles.
Mostraram-me como o capitalismo tem dado cabo de culturas menores, quem não tem dinheiro não tem poder, e quem é menor mesmo que tenha dinheiro este é sempre pouco para afirmar alguma coisa.
A luta é no agora, anulando no agora, rejeitando o que está mal, pouco importa falar muito nisso, a acção por si faz tudo. E eu amigos, não compro lixo americano, uso aquilo que me é permitido e não me fere, mas mesmo assim estou a ver que aos poucos vou ter mesmo de anular tudo que é americano, pois o pouquíssimo de bom que apresentam está a morrer com o capitalismo.
E eu não partilho o sonho egoísta americano, partilho algo que muitos afirmam utópico, pois tudo fazem para o ser, o meu sonho é a paz mundial.
Eu tenho paz interior, eu sou paz e sei que todos que conseguem conquistar essa liberdade não têm sonhos egoístas, pois para quem abraçou a existência o ego sente-se satisfeito vazio, preenchido de amor, como um copo com ar, pronto a cumprir quando for preciso, aguardando ser enchido no momento, dando satisfação no momento, fazendo com que se beba água sempre limpa, não deixando turbar a água, pois guardar água no copo para amanhã não interessa e andar o dia todo com o copo cheio não faz sentido.
Não aceites condicionamentos estúpidos, não abraces o capitalismo, pois quando deres fé que o poder que o dinheiro te dá é uma mera ilusão, a redenção pode não ser permitida, e na realidade os teus erros viverás com eles para sempre, porque o que está feito, foi feito e não existe andar para trás, não existe futuro, existe agora.
E agora foi a minha afirmação, o mostrar da minha indignação, e é incrível como um mero jogo para crianças pode mostrar um problema mundial.
Sê livre, acordado, mas só abraçando a existência saberás o que é realmente liberdade e enquanto aceitares os condicionamentos da forma que estão agora, apenas terás o teu ego ferido, apenas viverás ilusão e sofrerás as suas consequências.
Hoje fiz a minha parte, levar com empresas que não dão valor à cultura, que colocam o dinheiro acima de tudo, bem, eu tenho escolha, logo desinstalei o lixo.
Fiz a minha parte.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

O amor e o sexo, A criança e o adulto

Sem comentários

Neste artigo crio um parelelismo entre conceitos que estão sempre interligados e talvez tenhamos criado tantos tabus que possivelmente deturpamos tudo. Assim vou tentar ser claro, simples e brincalhão e peço-te para ao leres estas palavras uses as suas associações mentais apenas para seres levado ao encontro da emoção, deixemos a razão para a inteligência para o corpo, e deixa-te sentir ao encontro do espirito.

Amor, algo que muitos sentem ou sentiram, que ambicionam ter ou voltar a ter e que já muitos dizem que não existe, que leva ao sofrimento então, especialistas já recomendam a não amar, não vale a pena!

Sexo, algo que se sente, mero prazer. Faz-se, ambiciona-se. Pela satisfação momentanea e entra-se no ciclo vicioso do desejo.

Adulto, aquele que acha que já tem maturidade e consciência para tomar decisões próprias e cometer actos que se definaram dignos de adultos. Sabe que erra constantemente mas considera humano e repete os erros rotineiramente. Usa a mentira como ferramenta de trabalho. Vive algo ideológico e raramente está agora. Sente-se o sofrimento.

Criança, o inicio, a origem e imaculada consciência, a total inocência. Pode aceitar uma mentira como verdade, sentirá o engano quando descobrir. Não aceita bem a mentira, contudo pode ser educada para aceitar. Vive o seu mundo mas no momento, vive o agora. Sente-se o seu amor, a sua totalidade.

E agora vais perceber o porquê das definições, mas sente.

A criança é amor, a origem é amor então um adulto é também amor, mas fechou-o numa cela e tornou-se o sofrimento, tendo apenas prazer momentaneo. Tornou-se sexo.

Criança é amor, adulto é sexo :-)

Esta é a minha comparação brincadeira, para de uma forma gira te sugerir a sentires o teu amor, pois tu és amor, criança ou adulto. Não o procures fora, procura dentro de ti. E se pensas que não existe porque nunca sentiste então tens um problema emocicional, espero que seja meramente associativo e não fisico!

E finalizando em brincadeira então fazer amor está correcto quando deu origem a uma criança,  pois fez-se amor. Um amor que tenderá a ir morar a uma cela fechada, a solitária e esta é uma tentativa para que impeças isso de acontecer, para que sintas o corpo, o espirito e não quero de forma alguma que acredites, não uses a razão, não cries dúvida, sente, verifica que és amor.

E depois de amares cada bocadinho de ti conseguirás amando bocadinho a bocadinho cada outro e seus bocadinhos diferentes.

E conhecerás a verdadeira religião, a rebeldia do ser individual que és, sem crença, sem dogmas, um espirito rebelde cheio de amor para partilhar.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

A Democracia continua a solução

Sem comentários

Diz-se que o poder da democracia está no povo, contudo verifica-se que é uma total mentira, ora isso é um problema. Diz-se que a anarquia é o ideal mais próximo da natureza, contudo existem regras em tudo, mesmo na natureza. Diz-se que o comunismo age em prol da comunidade, contudo o povo não tem poder. Diz-se que o socialismo pensa no pobre, mas instaurou-se um sistema que protege o mais rico.

Estes são meramente alguns aspectos dos ideais e nunca deixarão de ser apenas isso, ideias. O próprio manifesto comunista nunca conseguiu ser posto em prática em lado nenhum, nem em nenhum lado, o povo votou para um sistema comunista.


A Democracia continua a ser uma boa solução, o problema da democracia está nos chamados lobbys que ao longo dos tempos foram tomando o poder. O problema da politica é não fazer distinção entre gestão e idealismo.


Governar é gerir, então para isso requer-se uma equipa de gestores que devem e podem ser responsabilizados.


Politicalizar é descutir ideias, e só devem ser discutidas ideias que seja necessário mudar e nunca mexer no que já funciona para o fim que foi proposto.


Então é função de um politico encontrar ideias, procurar soluções ideológicas e não de governar.


A governação deve ser feita por uma equipa de gestão e a única salva destes se safarem da responsabililização é nas medidas que tenham a ver com as novas politicas que se deseja implementar.


A partir do momento que se identifica que uma medida não é válida esta deve ser imediatamente substituida sendo considerada uma prioridade.


O politico só conseguirá implementar a sua ideia depois da votação do povo na mesma, só assim garantimos democracia. O povo sente, o povo muda, e qualquer um pode tentar fazer vingar a sua ideia.


Chega de guerrear ideias megalómanas impraticáveis, vamos sim, a sentir que somos um todo, mudando gradualmente o que está errado, mudando agora, praticando agora a correcta medida, sabendo que agora foi praticado o melhor que se sabe. Se amanhã houver necessidade de corrigir, nesse agora o erro será corrigido, isto é evolução, isto é dar voz ao Povo, isto é Democracia tecnológica e evolutiva.


Este não é o meu manifesto, pois se houver algum anti que sou a favor é o anti alguma coisa. Não devemos ser anti, não devemos estar a discutir o que está errado, devemos praticar no agora aquilo que sabemos que é correcto e verdadeiro para nós no momento. Assim isto não é um manifesto é meramente um conjunto de ideias que sei que permitem ao humano uma evolução melhor, pois no seu conjunto permitem a transparência, a coerência e o verdadeiro. A sua implementação para Agora é impossível, mas transmitindo a ideia, quem sabe amanhã.


Hoje estas palavras cumprem. Do futuro não quero saber, pois quando o humano viver o agora, o paraíso voltará.


Abraça o futuro, vivendo Agora.


Força no Povo.