Omninvi :: Invii demanda sapientia

Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Conhece-te a ti mesmo

2 comentários
E sentado no retiro, escrevo!

Mas existem assuntos que não me atrevo

e ao encontro dou relevo.

Conhece-te a ti mesmo, escola de sabedoria.

Mas não te prendas á filosofia,

pois a escola prática da vida
vai-te dar a conhecer sentimentos.
Assim quando ficares amigo da Sofia,

vai-te ajudar em certos momentos.

Não fiques com a vida perdida,

por desconheceres as emoções.

Não procures no exterior soluções,

pois o interior é que está mal!

Assim na busca pelo equilíbrio,

vais ao encontro da mente natural
.
E encontrado desaparece o sombrio!

A dor desaparece,

o momento não se esquece,

mas termina o sofrer

e começa a arte de viver.




Philo Philos Pachem


Até por acaso

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

No amar não há depressão!

Sem comentários


Não aceito o condicionamento,

mas entendo a que estou sujeito.

Sou livre, vivo o momento.

Não sou marginal,

tento viver a vida natural.

Muitos dizem que não sou normal,

mas mostram-me fraco entendimento!

E nem conhecem o seu condicionamento!

Andam aqui manipulados,

nem sabem porque ficam frustados!

Vivem uma ilusão!

Não entendem a realidade!

Contentam-se com paixão,

mas não entendem a verdade!

Então surge a depressão,

que impede o ser de amar!

Sofrem da desilusão

e já não amam aqui estar!



Então peço: Ama a natureza.

Terminarás com a tristeza,

mas primeiro tens de te encontrar,

ou nunca voltarás a amar.



Philo Philos Pachem



Até por acaso

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Amar sem ilusão

2 comentários
Não te iludas!

Podes ficar a viver essa ilusão.

Encontra-te para saberes amar

Ou ficarás na cegueira da paixão!

Depois talvez só fiques a gostar.

E perdido em sentimentos,

vais perder os momentos

e a tua capacidade de amar!

Mas não bloqueis, sê inteligente,

mas não sigas só a razão, vai em frente

e surpreenderás toda a gente,

com o teu amor sem ilusão.



E acaba a tristeza,

começando a partilha com a natureza.



Philo Philos Pachem

domingo, 22 de agosto de 2010

Qual a tua anedota favorita?

Sem comentários

Entra o pica dentro do autocarro e vai começando a validar os bilhetes. Chega a um individuo e depois de lhe validar o bilhete quando vai a validar o bilhete de outro individuo é interrompido.
Falta validar este, diz o individuo.
O pica depois de lhe validar o segundo bilhete pergunta:
Porque validou 2 bilhetes?
Ele responde que podia perder o primeiro assim tem o segundo de salvaguarda.
O pica já a rir da possibilidade quase nula do acontecimento pergunta:
E se perder os dois?
Amigo não se preocupe, ora valide o meu passe.

Pergunta-me o que quiseres....

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Em memória de John Lennon

1 comentário
Imaginar todo o mundo em Paz

É para mim uma alegria.

Muitos dizem que não sou capaz

Outros que é uma Utopia

E como entendo a tua Morte!

Mas deixo a minha á sorte.

Porque se em Paz vim,

Em Paz será o meu fim.

E meu amigo, meu agradecimento,

Pelo teu momento.





YouTube Video



Philo Philos Pachem

domingo, 15 de agosto de 2010

Olá amigos

Sem comentários
Olá amigos, reflecti bastante tempo como partilhar as minhas experiências e um blog pareceu-me boa ideia. Mas eu queria falar de tanta coisa que acabei por me distrair e dividir. Criei blogs temáticos, preocupei-me com design e alojamento e conclusão!? Perdi tempo mas não tinha essa consciência. Explicando melhor dividi as temáticas, reflecti sobre temas e não partilhei como devia. Quis sempre ser original, assim todos os blogs expressavam a minha opinião essa era a minha ideia. Dei por mim perdido em temas batidos, pois no tema dinheiro existem muitos blogs, no tema tecnologia igual. Mas não me importava desde que fosse original estava partilhado.

Agora decidi não me dividir e dizer o que penso com sabedoria.

E não pensem que vou seguir Confucio á risca pois a frase que expus dele eu concordo mas mudo-a um pouco, pois para mim ela é mais valida assim:

queres ajudar o mundo, ajuda a tua cidade, queres ajudar a tua cidade, ajuda em casa, queres ajudar em casa, encontra-te.

Anulei o egoismo de preposito pois somos um, temos que nos ajudar uns aos outros.

Assim espero que este blog seja uma grande contribuição para o mundo, e o segredo de viver já esta escrito, quem é iluminado e já reflectiu talvez já se tenha rido, sim porque quando existe entendimento existe sorriso, nada mais.

Mas como tu só sabes o que experiências, vou-te dar mais uma dica, observa o acaso, porque deus não podes experienciar, só o podes amar, imaginário ou não. Mas o acaso amigo, o acaso podes experienciar todos os dias. E volto a ser cientifico, o acaso existe?

Essa está a ser a minha contribuição para o mundo, colocar os humanos a evoluir com consciência. Espero conseguir dar o meu contributo e que as sementes que lanço iluminem muita gente.

Porquê? Porque estar desperto para manipular não é comigo, eu não vou mentir nem manipular pois isso para mim é um erro, e erros já me basta os meus vícios. As minhas sinceras desculpas pelo meu egoísmo nesse aspecto.

Alguns vão sentir a ameaça, mas não me preocupo, pois eu vivo as escolhas que o acaso me dá, essa é a essência natural, vivo o acaso com a minha escolha consciente, eu pratico as boas praticas sempre no caminho da Paz, e aquele que ainda acha que Paz mundial é Utópico, ofende-me mas elimino logo esse sentimento, pois ele tem direito á opção, mas o achar dele mostra-me duvida e eu se tenho que detestar de algo é da duvida, mas não o vou fazer viajar para um mundo imaginário para ele deixar de ter duvida pois isso é criar fé num imaginário.

Assim depois de reflectir twittei:

"se queres ter fé e acreditar, acredita no acaso, pois esse podes experenciar." Tinha deixado a frase até ao acaso, hoje por acaso acrescentei mais uma reflexão á frase.

Assim é a vida, o que é hoje pode não ser válido amanhã, mas hoje fomos perfeitos da maneira que sabemos. Quando soubermos mais ficará melhor, mas não penses no futuro, pensa no agora, pois automaticamente estas a relacionar com o passado e corrigindo agora estas automaticamente a melhorar o futuro.

E se tenho que agradecer a alguém agradeço aos meus amigos pois os acasos levaram-me a onde estou. E o amigo que deu a maior contribuição foi o Osho, mas porque seria a contribuição dele maior do que a do meu amigo que mo mostrou! Disse-o para motivar as pessoas a reflectirem seus pensamentos, para olhar o que já foi dito, porque para já eu pouco ou nada vou dizer que já não esteja escrito num livro, mas prefiro escrever a minha visão, a minha opinião, pois assim estou a ser eu evitando dizer o que já foi dito, mas se digo o que já foi dito é porque sei, ou sinto que está correcto. Tenho sempre um porquê resolvido, porque como já disse ter sabedoria é diferente de ter conhecimento.



Até por acaso,





Philo Philos Pachem

Terminando a historia do iluminado

Sem comentários
Um iluminado não deixa de ser um ser normal, é meramente um ser com
mais consciência e claro que é um ser inteligente. Mas não busca
conhecimento, busca sabedoria. Tenho alguns amigos de que me admiro
muito, são seres sempre em constante evolução. Mesmo iluminado não quer
dizer que não erre. E o facto de viver uma anterior iluminação faz-me
viver melhor esta.
Estava a reflectir o que partilhar pois já tenho pontos para partilhar
mas resolvi seguir Confucio quando diz: "Queres governar o Mundo,
Governa a tua cidade, queres governar a tua casa, governa-te a ti
mesmo".
Então estou a procurar harmonia nos que me amam mais, a convivência em
desentendimento tem que parar, mas da ultima vez fui até ao arriscar a
vida. Desta vez estou por dialogo e afecto.
Vamos ver...
E o artigo tinha terminado aqui mas senti que faltava algo, então
acrescento, iluminado sim, mas buda ainda não, ainda faço mal a mim
próprio fumo tabaco e ganza.
Então lembrei-me que na minha primeira iluminação em que uma amiga me
disse que o mestre lhe disse que ela estava quase, eu na altura olhei
para ela e sorri. Quem pratica boas praticas esta sempre num bom
caminho.
Não importa que religião for. O problema são as más praticas que
cometemos, um perdão não resolve tem que se corrigir o erro, se este for
possível de corrigir.
E estou iluminado, mas só estarei buda quando deixar as minhas duas más
praticas o tabaco e a ganza.
Nessa altura direi que sou o buda zen philo pachem.
E tu que és cientista pensa na hipótese: "o acaso existe?"
Eu já dei a minha resposta, reflecte a tua e responde no questionário.

Até por acaso!






Philo Philos Pachem

sábado, 14 de agosto de 2010

2a iluminação

Sem comentários


No artigo anterior falei um pouco de iluminação e Zen, mas ficou muito por escrever e alguns porquês por explicar.

A 1a ter acontecido como aconteceu mostra-me que assim tinha de ser. E com a minha despreocupação cheguei há 2a por acaso! Que lindo, a minha procura pela paz esta-me a deixar observar os acasos.

Os meus bloqueios já eram  poucos e diminuíram com a vontade de alguns amigos que praticam métodos propagandistas. Então eu li:

-ilumina-te, para o mundo ter paz

 e amor.

Não existe mentira na frase, mas existe a possibilidade de o ser que ler fique preso á ilusão desse amor, dessa paz.

Mesmo usando só iluminação pode leva-lo a caminhos budistas com essa ilusão.

A iluminação é extraordinária, mas nada de ilusões, pois todos iguais, todos diferentes, todos com opção.

Não se percam no conceito de amor. pois só saberás do que falo quando experenciares e sentires.

E pela razão já há quem conseguiu, se encontrar, mas ai duvido da parte sentimental. Como aconteceu como comigo vou explicar, será o meu primeiro livro  com o titulo:"Porque penso ser quem sou!

Na segunda chorei duas vezes, uma pelas crianças, outra pela minha mãe.

Na primeira chorei quando olhei para a televisão, na segunda a pensar nas crianças e pela minha mãe pois deixei de mentir (andava á quase um ano a enganar toda a gente, medica e família). Neste aspecto tive que ir contra os meus princípios e se não o tivesse feito não teria chegado á iluminação outra vez assim não estou arrependido do que fiz, não aprecio mentiras, mas agora sei que mesmo tendo levando com químicos e terem-me feito mal ao corpo e à mente, que é possível atingir na mesma. E o pensamento que será que consigo morreu.

Assim cá estou novamente, cheio de vontade de partilhar.

Olá mundo, amo-te muito e vou mostrar o meu amor por ti.

O meu agradecimento a todos os que contribuíram, pois no acaso da primeira foram uns  e na 2a outros.Ser o observador e observado é complicado. Mas é tão bom sermos nós mesmos.



Espero partilhar mais momentos do acaso brevemente mas senti que estas palavras eram precisas ser escritas primeiro. Não quero por a carroça á frente dos bois.



Tenho dois livros para escrever, e vou escrevendo e partilhando momentos.



Até por acaso







Philo Philos Pachem



Relacionados:





Artigo anterior

Poema da 2a iluminação: Amar estar e ser

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Amar estar e ser

Sem comentários
Sou realista com amor

E já não amo filosofar.

Amo a arte de filosofia praticar
.
Muitos pensam: Que tristeza!

Mas eu amo a natureza.

E se não sentes seu amor,

Sentes sua dor,

Mas és egoísta

Pensas que a dor é só tua,

Mas é de todos!

Esta é a verdade nua.




Philo Philos Pachem

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A criança, a iluminação e o Zen

Sem comentários
Iniciar o dia a pensar como abordar um tema complexo de uma forma simples foi o meu desafio. Não queria tornar-me mais um a escrever palavras dos outros. Como falar de algo que só pode ser sentido, vivido! Mas eu queria falar sobre a iluminação, algo que não imaginei que alguém estivesse interessado até verificar que existe quem procura entender.

Mas falar de algo tão antigo!

E tive que vir a casa, pois escrevo ao ar livre e fiquei sem bateria. Deixo o telemóvel a carregar e desço (vivo num 5o andar). Sentado nas escadas da entrada observo uma criança e nem imaginam a delicia que aquele momento foi para mim!!

Está aqui um excelente exemplo, pensei eu com um sorriso encantado!! Que lindo!

A criança estava tranquilamente e sem dúvidas a fazer o mais correcto. Apanhava o lixo do chão da praceta e colocava-o no caixote. Sentado na esplanada do café, o pai ainda disse: - larga isso que é caca. A criança expressou-se então verbalmente: isto é lixo. E continuou a sua tarefa.

Terminei o meu cigarro (erro que ainda não deixei) e dirigi-me ao caixote para deitar a pica. Disse-lhe que o que fez está correcto, mas para ter o cuidado de não ir com as mãos á boca até lavar as mãos.

E fez-me lembrar os momentos em que depois de acordar decidi fazer o mais correcto, decidi mostrar em vez de só falar. Então eu não discutia, limitava-me a colocar as picas no lixo, quer as  já no chão quer as acabadas de atirar para o chão. Era impressionante, tantas reacções diferentes para algo tão simples. A lógica é básica cometeste um erro, não há problema eu corrijo. Em 3 dias vi a diferença, alguns tentaram gozar mas eu sorria, fazia-o com uma tecnica e graça que admirei muita gente. No combinado de acções ao fim da semana era um santo aos olhos de alguns, um louco aos olhos de outros! Compararam-me a S. Francisco, não faço ideia do que ele fez.

E andava pela cidade livremente, cumprimentando toda a gente de forma diferente pois o cumprimento era sentido, dependia da expressão do outro.

Assim vivi os dias mais livres da minha vida, mais intensos onde tudo que observei ficou realmente registado.

Mas fui mal interpretado não tinha conhecimento do verdadeiro condicionamento a que estou sujeito, assim fui julgado e o que me fizeram apenas aceito e entendo. Confiava na ciência e nunca pensei que executassem antes e falassem depois. Verifiquei que mesmo depois, com palavras não seria entendido. Não perdi memória, o raciocinio ficou abalado, mas o que perdi foi a quimica. Para tentar explicar a quimica defino, a mesma quimica ou parecida, de um ser apaixonado, é diferente mas é o mais proximo de descrever.

Assim concluí que a sociedade como esta idealizada não pode permitir humanos livres logo não permite iluminados. Qual a vantagem para um estado ter cidadãos que nâo se deixam condicionar?

A anarquia mete medo, o pessoal só imagina violencia e caos mas a realidade natural prova o contrario que a anarquia é a ideologia mais natural e mais simples. Vão-me julgar como se eu não soubesse o que estou a dizer mas procuro um mundo de Paz, a ideologia e a religião são meras tretas condicionativas. E não precisamos idealizar, temos que viver.

E conseguirás tu ficar rebelde e destemido num caminho de Paz onde a tua arma é meramente a palavra ou o silêncio, onde as tuas acções só afectam positivamente?

Terás que te re-educar sozinho, só o autoconhecimento é válido, pois a experiência é o que é verdade para ti, procura como autodidacta e quando viveres sentindo, estarás sempre sorrindo, mas isso escrevi eu, não confies. Que a tua consciência te mostre o caminho. E aí mostra-me quem és, lembra-te é que não és nem só o corpo, nem só a razão, nem só a emoção. Não cries dualidades no teu ser, sê quem és em unidade, funde-te e mostrarás a tua originalidade. E na tua individualidade única vais conseguir amar-te e amar os outros e perceber que neste mundo imperfeito o humano tem medo de evoluir. Se conseguires não sejas mais um que tem medo de mostrar quem é.

E assim começa o Zen, sem religião, sem dogmas, sem filosofia. Até ao momento tudo está perfeito, não está melhor meramente porque ainda não sabemos mais. Ou sabemos e temos medo?



Saudações  Joviais e Paz





Philo Philos Pachem

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O Acaso e o amor

Sem comentários


Acabei de ver, "Nada é por acaso" neste video partilhado por uma amiga pensei encontrar algo filosófico, mas não, é uma mensagem de amor!!

Será assim tão comum fazer associações de amor com o acaso?

Claro que sim e pode-se explicar facilmente. Tudo que é aleatório é natural! Querem provas observem a natureza. No humano tudo fica fora deste contexto porque nós condicionamos e controlamos com base em ideologias que nos permitem ter algo a que chamamos de segurança, estabilidade e paz. Este condicionamento cria distancias da linguagem natural, obrigando o individuo a agir fora dela ou seja acções controladas de forma pensada, com objectivos. Quando algo foge ao pensado, o individuo faz a associação do acaso! Mas normalmente esta associação é feita quando? Depois da ocorrência do acaso, porquê? Porque foi diferente, belo, por momentos foi fluido com perda de noção de tempo, ou até realizou inesperadamente algo esperado. Assim é a natureza das coisas, sem noção de tempo, sem objectivos, só existe paz, harmonia, existe o nada que é tudo, existe amor.

Por tempos pensei que reconhecer e saber viver estas ocorrências do "por acaso" dependeria do conhecimento e seria uma boa forma de vivê-las, mas dei por mim sempre a olhar para o passado!

Andava atrás do belo, na expectativa e só depois de acontecer é que pensava, que belo momento que foi! Vive-se o agora. Ao não esperar, não idealizar, ao ser simplesmente eu não tenho desilusões e tudo se tornou belo, por acaso!

Assim para mim, tudo é por acaso, assim é a natureza. Nós tentamos fugir ao acaso, porquê o medo?

Se o acaso é assim tão belo, se ele é amor, quem pode ter medo?

Porque tudo é por acaso, e por acaso leste isto, talvez um dia por acaso sintas e assim todas estas palavras desaparecem.

E com um sorriso me despeço. 



Philo Philos Pachem



Artigo original: O acaso e o amor

Video que desplotou estas palavras: http://www.youtube.com/watch?v=0mlIJGRWnwY

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Libertem francesa que matou os putos!!!!

Sem comentários
Atenção, se a morte ou matar lhe mete medo recomendo que pare de ler este artigo. O assunto é muito delicado e no fundo vou defender a mulher que já chocou muitos e que muitos já julgaram.

Mas para entenderem onde quero chegar tenho que começar por falar na definição de vida humana. A ciencia por conveniencia define que o feto só é humano após algumas semanas da fecundação e o aborto é permitido até aí! Para mim, tretas! E soluções para depois disso? Não há! Seria matar um ser vivo!! Para mim a vida começa logo depois da fecundação e a palavra aborto é o mesmo que dizer morte consentida, mas a malta tem medo da morte por isso tanto pormenor e tecnicismo. Na pratica é sempre matar.

Deixando de lado a hipotese que a decisão foi tarde demais vou formular ainda outra hipotese. Imagine-se que existe má formação no feto e com os metodos que temos existe 85% de hipotese do feto nascer defeituoso, o aborto é permitido, mas porque tenho eu de confiar? Porque não posso eu verificar no final e se realmente se verifica anormalias então morte consentida pelos pais.

O mesmo será válido para a hipotese anterior dando ainda mais opções, pois deixa-se nascer e os pais decidem no fim, permitindo a morte concentida , a adopção ou mudarem de ideias e ficarem com. A escolha deve ser do casal.

Legalmente a criança só devia de ganhar os direitos depois de registada no sistema antes disso os direitos do casal primeiro, assim seria morta á nascença ou registada para os pais criadores ou adoptivos.

Não vejo problemas legais nenhuns assim, apenas mais opções ao cidadão aumentando a sua liberdade.

Sei que o acto de matar faz confusão, sei que parece tribalesco, eu considero normal da forma como coloquei.

Vou expor mais um caso, imagine-se que existia a hipotese de má formação, o casal decide não abortar, o puto nasce com um pequeno defeito no coração. Os médicos têm a perfeita consciência que o puto não vai durar muito mas não conseguem determinar o tempo. E como não o podem matar mesmo com o concentimento dos pais, fazem como na maioria das religiões! Fazem os pais acreditar numa hipotese! E a hipotese de um transplante aparece e cria a esperança!

Duas palavras para enganar a mente! Acreditar e esperança! Palavras de crentes que vivem de hipoteses!

Mas o transplante não acontece e o puto morre pouco antes de ir para a escola.

Agora pergunto, qual sofrimento é maior?

O de o matar logo ou o de o ver morrer com 5 anos de partilha emocional?

Sei que é relativo, por isso deve haver escolha, posso aceitar a partilha sabendo que é de pouca dura como posso terminar logo com o assunto.

Mas ainda se consegue ver um problema!

Imagine-se, um casal naturalista, não existem metodos contraceptivos, nem preservativo nem pilula. Passavam a usar esta opção como metodo contraceptivo!! E depois? O aborto também pode ser! Tinham opções, porque não se confia na consciência humana?

E agora já devem ser capazes de entender melhor porque não se devia julgar a francesa que matou uns poucos de putos que não entraram no sistema. Sei que o primeiro e o segundo devem ter custado, depois foi uma festa, atingiu uma certa normalidade e começou a ser banal!

Não bastou o sofrimento de mãe pelo menos dos primeiros? Será que não sofreu com todos? Aprendeu a aceitar!

Quem somos nós para julgar?

Qual a dificuldade de aceitar?

Deixem a mulher viver livre que não fez mal a ninguém "registado" no sistema.



Origem deste artigo:



libertem francesa que matou os putos!!!



Notícias relacionadas

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=1629761



Philo Philos Pachem