Omninvi :: Invii demanda sapientia

Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Jardim Imaculado

1 comentário



jardim imaculado


de lagrimas regado


onde rosas
vermelhas florescem.





à porta sentado,


atento e fascinado


observo quanto
crescem.





aguardo o momento,


de as poder
cheirar.


e livre do
pensamento,


de ansioso entrar,


contemplo a
beleza,


de observar a natureza.





podia usar mais a
arte,


de um jardim
imaginar.


Mas imaculada é
esta parte,


e tenho que sentir
para criar.





assim,


contemplo o nascer
das rosas,


do meu novo
jardim.


e grato estou de
me sentir assim. 





Philo Philos Pachem


Até por acaso

domingo, 12 de dezembro de 2010

Palavras!!!

5 comentários



Com palavras não
posso expressar,


o que podes sentir.


Nem tão pouco a
falar,


vou conseguir.




Mas não me posso
omitir,


tento mostrar na
comunição,


as palavras que deves
dizer não,


pois ajudam-te a
não sentir.


Não tenhas
esperança,


sorri da
lembrança.


Cuidado com o
acreditar,


mas procura o
saber.


Fé não deves ter,


mas deves saber
amar.


Mais não posso
escrever,


e não deves
acreditar.


Só conseguindo
viver,


vais entender e
amar! 









Philo Philos Pachem


Até por acaso

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Um segredo na missa!!

Sem comentários
Quantos de vós que vão à missa, dizem palavras sem pensar, palavras que foram treinados a dizer e nem sabem bem o seu significado nem tão pouco o quanto vos toca, ou o porquê que toca. Perdidos nessa consolação sem sentido, algum significado as palavras trazem à mente mas muitos não entendem porquê. Hoje trago-vos uma revelação de um segredo que não está escondido, muitos de vós dizem-no todos os dias que vão à missa.


A uma dada altura da missa, o padre deseja - "Que a Paz esteja convosco." - ao qual as pessoas estão instruídas para dizer - "Ela está no meio de nós." - este é um segredo que as pessoas não dão importância, nada tem que ver com Deus, tem a ver com a Paz que está no meio de nós, isto é uma verdade universal, não tem religião. Agora aventura-te a encontrar a Paz se a perdeste, pois tua mente não deve estar em conflito, deve estar em Paz, e dessa Paz é que deve florescer o Ser, nunca em conflito. Em conflito o Ser será mais um perdido que nem sabe bem o que procura e tanto procura no exterior que nunca ficará resolvido, pois na realidade ele procura algo que é natural, algo que já está dentro dele, mas que o exterior quebrou. Assim antes de entrares em conflito verifica sempre se vale a pena, pois se a origem está no teu interior estarás a magoar até quem te ama,  e os resultados não serão benéficos para ninguém, ao não estares em Paz contigo mesmo, estarás a prejudicar o todo, por isso peço que reflictas, pois não está na adoração a Deus o caminho da Paz, mas sim no facto de estares em Paz e trazeres Paz, conflito traz conflito e ficarás abundado de energia negativa que depois vais descarregar, pois tens que descarregar! Esse é o problema! Elimina-o pela raiz, e assim lembra-te sempre que em teu estado natural tu és Paz no interior.



Que encontrem a Paz dentro de vós.



Philo Philos Pachem


Até por acaso

domingo, 5 de dezembro de 2010

Paixão

Sem comentários



Paixão, paixão


muitos pensam que
tal cegueira,


é uma valente
asneira!


Dizem que com eles
não pega,


mas têm medo do
amor e sua entrega!


Medo de sentir,


de passar o dia a
sorrir!





Paixão, paixão,


semente do amor,


és alegria e trazes
dor!


Pois para amar sem
sofrimento,


é preciso amar o
momento,


é preciso saber


deixar florescer.


senão tal paixão


deixa-te na
ilusão.


Livra o
pensamento,


de tal sofrimento,


pois a cada
momento,


só existe amor.


E se dor queres sentir,


engana-te e ela
há-de vir.


Não ensino a
sofrer,


ensino a viver,


e na arte de amar,


só existe o
partilhar.


Livra-te do banal,


sente a energia,


e será natural,


sentires a
alegria.


Ambos devem
sentir,


e deixar fluir,


e será uma
aventura


que por momentos
dura.


não te prives do
prazer,


de intensamente
viver.






Philo Philos Pachem


Até por acaso

sábado, 27 de novembro de 2010

Adeus Jesus Cristo

24 comentários



Ensinaste mal,


traiste mais de
meio mundo!


Deste a formula
natural,


sem ires muito
fundo!


Assim foste um
causador,


e não um salvador.


E neste momento,


ainda és a origem
do sofrimento.


claro que muito
foi mexido,


se assim não fosse
já não teria sentido.


A tua causa
perdida,


e a tua morte
sentida.


Claro que para
nada,


pois continuam sem
entender,


e a hipocrisia
manter.


Ao amor muitos nem
dão valor,


o dinheiro
sustenta alegria,


mas quando chega a
dor,


é bem-vinda uma
avé-maria.


Quem ensinou a
orar?


Se tu ensinaste a
amar!


A formula foi
escondida,


muitos pensam que
está perdida!


Não está, só pode
ser sentida,


não existem
palavras para descrever


tal intenso viver.








Philo Philos Pachem


Até por acaso

domingo, 24 de outubro de 2010

Adeus amiga

3 comentários
E parte de mim foi em ti.

Não importa, parte de ti está em mim.

Já controlei o que senti,

e já estas no teu jardim.



Não ficarei preso aos momentos,

nem tão pouco aos sentimentos.

E os meus pensamentos,

á partilha estão atentos.



E sinto a tristeza,

de contigo não poder partilhar,

mas a natureza,

pede-me para amar.



Assim partilharei,

amarei,

como faço agora,

recordando a tua hora.



Mas foi uma batalha perdida,

falhei na minha missão

de te fazer dizer não.



Assim, na tua vida sofrida,

não conseguiste aguentar,

e sentindo que nada tinhas para dar,

ficaste perdida!



E presa ás barreiras do material,

espetaste-me uma faca no coração,

fazendo o que é normal,

mas num escorpião.



A escolha foi tua,

essa é a verdade crua,

é uma realidade dura.

Mas a minha aceitação é pura.



Falhei....

Não te consegui convencer.

Sorrirei...

Pois não te vou esquecer.



Philo Philos Pachem



Até por Acaso


Published with Blogger-droid v1.6.3

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Considero boa prática!

Sem comentários
Vou partilhar com vocês alguns momentos e depois então comentar.

Assim vou contar algumas pequenas histórias:



A apanha das picas




Pouco depois da minha primeira iluminação decidi que deveria fazer sempre frente ao que está mal, mesmo que moralmente aceite o contrário. É um pouco remar contra a maré, mas é um trabalho necessário, assim decidi que sempre que visse alguém proceder mal, não iria chamar á atenção mas sim corrigir o erro.

Sempre que na minha praceta alguém deitava um pica de cigarro para o chão eu limitava-me a ir apanhá-la e coloca-la no lixo.

Ao fim do terceiro dia tinha reduzido as picas no chão para mais de metade e em contra partida já tinha quem pensasse que eu era maluco.



A bosta dos cães




Tenho uma vizinha que se preocupa com os animais, já a vi com hábitos piores dos que tem agora. Pois agora é costume trazer um recipiente com água e algum produto. Assim que a cadela faz asneiras antes da altura ela limpa.

Certo dia, observei que a cadela foi ficando para trás, é muito normal pois já está bastante idosa e tem dificuldades até no andar, a vizinha foi levando os outros cães e a cadela sem a vizinha poder observar faz as suas necessidades na praceta!

Não existia sacos de cão no recipiente, então na altura não pode fazer nada.

A bosta de cão foi motivo de dialogo para muitas pessoas.

Ao fim da noite estava a passar por outro local e tirei um saco cão. Limpei a bosta sem problemas e se já tivesse sido limpa iria colocar o saco no recipiente.



Lixo no chão!




Certo dia estou a passar na zona e estão dois casais a dialogar sobre o lixo que estava no chão, de idiota a outros nomes para mim já estavam a demorar muito tempo a falar sobre um assunto que não merecia discussão.

Fui dar mais uma volta curta e quando voltei analisei melhor a questão e gastei uma viagem para colocar os três sacos do lixo no sítio devido!



Conclusão!




Tenho observado que as pessoas sabem perfeitamente o que está certo, mas ficam presas a moralismos e palavras e não agem.

Peço que reflictam, pois para os casos atrás referidos falar é perder tempo. Quanto mais treinarmos para agir correctamente sem pensar mais perfeitos nos tornamos, significa que não temos dúvidas do que estamos a fazer.

Quanto a picas, lixo e vidros partidos parecem coisas insignificantes mas lembrem-se sempre das crianças.

Para uma criança de 3 anos apanhar uma pica, uma chicla ou outra coisa qualquer do chão e meter á boca é muito simples e rápido. Não tentem culpar os pais que não estavam atentos pois bastam dois ou três segundos para acontecer. Indo mais longe imaginem uma criança que caiu e se curtou nos vidros de uma garrafa partida, acidentes acontecem, mas ela podia ter simplesmente caído, mas teve o azar de levar com os vidros de um acidente anterior fruto de algo acidental ou propositado.

Assim tenho observado que a malta não tem consciência dos actos que anda a cometer, mas não são só os adolescentes que ainda têm uma mente inocente e sem consciência, tenho observado muitos adultos que não têm moral nenhuma mas acham que a idade lhes dá o direito de a ter e mal ensinam !!!



Philo Philos Pachem


Até por acaso

sábado, 16 de outubro de 2010

Dois dias em cheio!!

Sem comentários
O dia de ante-ontem foi bastante preenchido, consegui fazer muitas coisas que me satisfizeram, mas como nem tudo podia ser do meu agrado houve duas situações que me desagradaram.

Bem depois de acordar no inicio da tarde, fui a casa de um amigo, estive um pouco com ele e partilhamos alguns bons momentos. Um amigo envia um sms, eu ligo e combino com ele. Dirijo-me para sua casa, fiquei com um assunto de dinheiros devidos resolvido, entretanto fiquei de passar por casa pois um rato em serie faria jeito e fui a casa ver se tinha algum perdido.

Nesse entretanto um outro amigo chama-me, digo-lhe por gestos para aguardar uns minutos. Em casa verifiquei que já não tenho nenhum, trouxe comigo uma pilha pois também era um problema da máquina cafeteira como chamávamos a máquinas antigas, não tiram café mas funcionam e cumprem a maioria das funções básicas que cada um pratica. Depois de entregar a pilha e dizer que não tinha mais meios para ajudar, voltei para a minha praceta e fui abordado então pelo meu outro amigo, que vem com uma conversa de instalação e configuração de uma rede sem fios. Da forma que ele falou, falou como se trabalhasse de borla, disse-lhe para pensar melhor e fui tomar o meu primeiro café.

Quando venho do café, estou a chegar á porta da entrada e uma amiga vizinha pede-me para deixar a porta encostada, estou a entrar no elevador quando me lembro que tenho que comprar um estojo, a amiga refere a porta outra vez e até lhe digo que venho já. Fui comprar o estojo, sabia o que queria e tinha na papelaria, foi compra rápida. Quando estou a chegar á minha entrada vejo um dos meus melhores amigos na esplanada. Estivemos a falar um pouco sobre um programa de carros muito conhecido, e ele como fã compra a revista inglesa e acompanha os episódios minuciosamente. Foram bons momentos de partilha, um pouco o que andamos a fazer. Acompanhei-o até casa, ele tinha que ir dar uma aula e eu que me preparar para ter aulas.

A primeira aula, foi componente de Português e passou lindamente, considero normal assim ser pois a formadora possui o carisma necessário para cativar e acima de tudo partilha o seu percurso, ajudando lindamente toda a turma a melhorar o seu português.

Cheguei atrasado á primeira aula de um modulo da componente tecnológica, na apresentação quando me pedido para definir o que era o Design Gráfico brinquei e a minha frase foi: "Têm me dito que Design é comunicar, mas Marketing é que é comunicar", deu grande polémica, mas como a formadora tentou explicar e muito bem são áreas complementares. Não disse o contrário, apenas coloquei o Marketing acima do Design Gráfico e fui mal entendido.

Vim para casa como se tem tornado habitual, com um amigo novo que conheci no curso, normalmente chegamos tomamos um café, partilhamos um pouco e depois ele vai embora e eu para casar comer.

Depois de descer para tomar um café, encontrei o meu amigo mais velho num dos cafés da zona, mas não no seu habitual, ou pelo menos no que eu habitualmente estava habituado a vê-lo. Estivemos a conversar um pouco e como ainda vinha com a ideia do Marketing, ainda se falou de Michael Porter, e no que diz respeito a ideias, falamos dos casos em que as ideias vêm de um elemento da linha mais baixa do organograma e injustamente o elemento do topo da cadeia é que fica com os louros. Nem sempre é assim conhecemos alguns exemplos que partilhamos em que um elementos da linha de produção apresentaram ideias que originaram grande sucesso.

No fundo todos são importantes e nenhum deve falhar, todos devem sempre conseguir cumprir o objectivo que lhes for proposto se assim não acontecer está o caldo entornado. Quando algum consegue apresentar uma melhoraria é o sucesso do todo que está em questão e esse elemento deve ser valorizado.

No outro café encontrei um outro amigo e fomos dar uma caminha. Acabamos no centro do porto, algures na praça de Ceuta um estrangeiro pergunta se falamos inglês, eu digo que um pouco. Ele pergunta onde é os Kebab, eu dou-lhe indicação de um sitio onde vendem. Ele agradece com Obrigado e eu interrompo, explico-lhe que o obrigado também significa por obrigação e que eu não fui obrigado a nada, fiz porque quis. Ele teve dificuldade em assimilar o agradecido, mas agradeceu a palavra nova. Acabei por o encontrar um pouco mais tarde na rua da fábrica e ficar a saber que ele queria outro sitio com Kebabs. Sítio esse que eu acabei por conhecer e comer um, mas sem molhos.

Conheci um amigo novo, paguei umas águas caras e já estávamos perto da paragem onde esperávamos o autocarro e um homem estava por gestos a lamentar a atitude de um amigo que tinha exagerado no álcool.

Comuniquei por gestos com ele e ele veio ter comigo. Estivemos a tentar comunicar da melhor maneira. Houve entendimento, ele ainda brincou que se fosse pai da minha amiga, ela àquela hora não estaria ali.

Achei giro a minha amiga estar a explicar ao meu novo amigo que eu era assim que valorizava e me metia com toda a gente. Que tinha um cinzeiro móvel que trago sempre comigo. E ainda partilhou algumas histórias que conhece e acha piada.

Deixamos o nosso amigo mudo de 45 anos e quando cheguei é que fui ao telemóvel, tinha-o deixado em casa sem querer. As mensagens que recebi de uma amiga não eram animadoras e já fazia tempo que usava a estratégia do sms para me sentir bem, pois ficava despreocupado quando recebi-a. Foi-me pedido para esquecer, para não ajudar quem não quer ajuda. E assim decidi não enviar mais e se eventualmente receber alguma ficarei radiante pois significa que ainda não perdi uma grande amiga, mas por outro lado estou triste por deixar de haver a partilha e cumplicidade da amizade de longa data.

Quase choro agora a escrever estas palavras, mas não posso negar a liberdade a uma amiga que amo.

Deitei-me. Acordei mais para o fim da tarde. Revi o que ia ter, preparei mais um pouco de material para Suportes Offline, acabei por ter a ideia para mais uns artigos para partilhar e juntar o material para outro artigo que já tinha em mente. E pouco mais tempo restou para ir para as aulas.

Foi inglês, tenho que levar na brincadeira as aulas pois é inglês básico. E para meu espanto o colega da discussão e confusão do Marketing ser comunicar e estar no topo, veio falar comigo dizendo que concorda com a ideia. Tento explicar-lhe a diferença entre Markting (Interno e Externo) a nível empresarial e Marketing Pessoal em que a SWAT funciona para a evolução do individuo.

Ele desviou, não entendeu a importância da informação que lhe tentava transmitir, queria desviar da ideia de Design ou Marketing  e ser mais filosófico com a ideia de conhece-te a ti mesmo, uma SWAT pessoal ajuda nesse sentido, é importante para um freelancer. Nos dialogos, disse-me que não precisava disso para nada, disse-me que não precisava de filosofia para nada, que o que interessava era a prática e que na prática se apreendia tudo. Tem a sua verdade, mas sem os conceitos bem definidos, onde está o dialogo?

Que aconteceria se aparecesse o gestor e dissesse o break-even não correu dentro dos prazos esperados, temos que refazer a campanha de comunicação preciso de novas ideias para dar a volta.

Na prática algo correu mal e é preciso ter novas ideias sobre o mesmo conceito, mas saber o que o gestor

quer dizer com break-even é importante para a noção e equilíbrio com o todo empresarial assim como mais conceitos. No fundo quanto mais o conhecimento menor será o esforço comunicativo para atingir o objectivo. Subjectividades são boas em brainstorms.

O dialogo foi no intervalo e na aula ainda teve coragem para dizer em voz alta para a turma toda que eu perturbava a aula. Fiquei podre e perturbado pois o meu objectivo é sempre produtivo e bem este novo amigo dizer-me que perturbo a aula! É um amigo que é para estar atento, pois se está tão fechado e acha que não é social mas não admite ignorância é algum que não faz grande esforço para evoluir.

Fiz o exercício de forma corrida e a formadora chamou-me á atenção. Reformulei e melhorei o que estava mal. No fim pedi desculpas á formadora pela minha saturação.

Vim novamente com o meu novo amigo, tomamos café falamos um pouco e tiramos conclusões muito semelhantes.

Fui jantar, quando desci e tomei café participei na conversa de dois amigos em altura oportuna, curiosamente o Marketing esteve em vários pontos da conversa. É um amigo gestor que concorda comigo que Marketing é comunicar e Design Gráfico é a forma como comunicamos. É uma forma simplista de colocar os conceitos. Mas não errada, não sei o que diria o meu mestre de Marketing mas se calhar ainda lhe envio um email para ler este artigo e dar a sua opinião.

A noite prolongou-se com mais uma caminhada, esta até á Ribeira. A vinda foi de autocarro e desta vez na paragem meti-me com uns estudantes académicos. Estava um a tocar bandolim meti-me com ele pedindo-lhe algo alegre. Ele esforçou-se mas acabou por dar a outro amigo que se desenrascou bem melhor, foi um momento engraçado e de partilha.

O autocarro encheu como na noite passada, e desta vez não saí em casa, saí um pouco mais á frente e ainda estive na conversa e partilha com um amigo e dois amigos intimos.

Quando cheguei a casa iniciei o trabalho de Suportes Offline, agora depois de um pouco de descanso da máquina, já vim a casa de um amigo e fui-lhe buscar tabaco e nesse entretanto fiquei a saber que as câmaras do café ainda estão a funcionar! Depois disso fui escrevendo este artigo em casa de um amigo com quem tenho estado a partilhar a manhã.

Sim ainda não fui á cama, adoro ver o nascer sol e do dia humano, normalmente durmo as manhãs, mas hoje ainda não consegui parar.

E assim depois de ter sido ontem espicaçado no Facebook para partilhar os meus acasos, aqui estão as minha últimas vivências. Com certeza faltam-me pormenores mas como devem entender ... :)





Philo Philos Pachem


Até por acaso

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O bichinho tecnológico voltou

Sem comentários
Como devem ter notado, o artigo anterior foi publicado através do meu Boston com Android. Foi um artigo bastante telegráfico :)

Agora já tenho onde escrever mas tenho que comprar um teclado bluetooth, estou a adorar o novo mini PC e não tenho publicado porque ainda ando a arrumar a casa digital e entusiasmado com o novo brinquedo produtivo, que me tem ocupado algum tempo. Já leio e escrevo, tenho video e audio aulas! Que mais! Mais memória, pois 2Gb é pouco! E mais! Bem ainda ontem fiz um truque de magia que impressionou! E dois amigos ficaram a pensar que o meu Boston é ilusionista!

Quanto aos blogues andava indeciso entre acabar com todos os blogues e manter só este, mas resolvi manter o meu blog sobre tecnologia e partilhar lá as minhas experiências com tecnologias.

Assim este mantém-se como sendo o blog entre o eu e a sociedade, e o philoscare como sendo o eu e a tecnologia. O blog sobre dinheiro foi uma brincadeira de teste, aliás todos foram mas chegou a hora de não perder mais tempo com assuntos batidos.

Espero dentro de breve estar mais assíduo, mas como já devem ter percebido para mim tudo é por acaso e sem esforço, pois não gosto de forçar nada. Tenho alguns artigos para publicar em ambos, mas será quando por acaso der.

Agora tenho que repensar um pouco no design do philoscare e começar a escrever que não me dá tanto gozo como pensar, mas é uma forma que tenho de reflectir e partilhar.



Philo Philos Pachem


Até por acaso

sábado, 18 de setembro de 2010

Comprei um Android!

Sem comentários
Estou neste momento a experimentar o Blogger-droid, e escrever este artigo. O meu Qtek ficou com a memória danificada e fiquei sem leitura e sem escrita. A componente telefone nem era o mais importante, os dados estão no cartão de memória e não me preocupei muito. O essencial que era a leitura já esta, agora tenho que me habituar á escrita e esta complicado, tenho que ver se existe teclado bluetouth. Estou a experimentar desenvolver em eclipse e estou a adorar. Recuperei o gosto pela tecnologia e adoro a Google pelas possibilidades que permite assim aderi ao latitude e agora podem cuscar onde ando.

Até por acaso

Philo Philos Pachem
Published with Blogger-droid v1.5.9

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Outras ligações

2 comentários


Neste artigo eu descrevo um pouco mais as minhas ligações e porquê que existem no blog.






Eu Vou Parar de Fumar!



Eu Vou Parar de Fumar!

Um site que vou visitando ás vezes pois vi o inicio e dá-me satisfação ir passando por lá. 










Fala Gabriel

Fala Gabriel

 Um blog que vou visitando, curiosidades e assuntos interessantes. Aqui ele fala do que lhe vier á cabeça. O ele e o mundo.










Iluminaty

Iluminaty

Um site do Gabriel para te fazer pensar em paz e amor :)














mZoneOne

mZoneOne

    Um blog que aprecio a mixórdia de informação, por isso vou visitando! 

     

     




oBlogDoAdicto

oBlogDoAdicto

Um blog que visito porque vai falando na temática das drogas. E vou dando uma espreitadela de vez em quando.










Lilika-Forever

Lilika-Forever

Um blog interessante com um pouco de muito :) Gosto de dar uma espreitadela de vez em quando.










Visão Panoramica

Visão Panoramica

Um blog de opinião que não deixo de visitar, interessante e agradável de visitar. 












Páginas Perdidas

 Páginas Perdidas

Um blog de um amigo de longa data que pelo que me parece deixou mesmo as páginas perdidas!!!! Mas ele tem muitos mais poemas!!! :)))))
















Low End Sessions

Um amigo de infância que tem um gosto musical bem apurado. Neste momento podemos ver algum do seu trabalho, as "low end sessions" através do seu blog, Low End Sessions.


Para quando é que podemos ouvi-lo ao vivo, isso é indeterminado, mas já não é mau podemos ouvir algum do seu trabalho através do site.


Aguardo ansioso pela sua entrada na noite, pois tem tudo para colocar o pessoal numa boa onda e bombar.








Assim estas ligações são ligações em português que vou visitando e observando o que os meus amigos andam a fazer :)





Até por acaso




Philo Philos Pachem

Uma noite agradável

Sem comentários
Num destes passeios ao acaso, tive uma noite bastante divertida e agradável com amigos acabadinhos de conhecer!

Estavam a jogar ao monte e despertaram a minha atenção, quando me dirigi a eles e pedi para observar, eles confrontaram defensivamente. Depois das apresentações estiveram então a explicar-me o jogo. É um jogo a dinheiro muito simples de jogar por acaso! O jogo consiste em apostar no monte mais alto.A banca prepara os montes conforme o numero de jogadores. Depois de virar os montes ganha quem tiver a carta mais alta, quem tiver o Ás de espadas fica banca. Jogavam por pura diversão e para passar o tempo! Joguei com eles um pouco, depois de ter percebido o jogo, usei a técnica da dobra até ter recuperado o dinheiro e depois saí. Não queria dinheiro, queria divertir-me

A conversa foi longa e agradável, a certa altura deu a fome e fomos à bomba. Trouxe uma garrafa de água que não me deixaram pagar. Quando chegamos de volta ao parque o nosso amigo que tinha exagerado na bebida ainda estava pelo chão, deu-lhe vontade de vómitos e tivemos que o ajudar a mudar de posição para facilitar, pouco mais podíamos fazer.

E acabamos a noite com problemas de lógica e calculo. Eu dei o meu preferido de lógica, o problema dos chapéus (ir para) , e um deles deu um de calculo, o problema dos cinco cincos(app). Como me mostrou dúvida eu coloquei-o a fazer o problema de forma a ele encontrar a solução e não mostrar. Entretanto outro deles já estava a resolve-lo, foi giro pois um que sabia e outro que não e acabaram quase ao mesmo tempo! Entretanto as horas já eram muitas e eu fiquei de conseguir achar mais casos favoráveis, pois curiosamente eles resolveram o problema com casos favoráveis diferentes.

E foi uma noite agradável, fiquei com um problema e deixei outro para resolver.





Philo Philos Pachem

Até por acaso

O problema dos chapéus

Sem comentários




Três matemáticos catedráticos fartam-se das habitações do campus universitário e decidem ir para a cidade procurar uma vivenda para os três. Uma mansão desperta o olhar de um deles e lá vão eles ver a mansão.

Quando chegam ao sótão viram um baú, o mais curioso tenta-o abrir, consegue e vê cinco chapéus à mexicano. Três deles tinham uma pinta preta em cima, os outros dois tinham pinta branca.

Depois de pensar um pouco um deles propõe um jogo.

Eles vendaram os olhos e tiram cada um seu chapéu, depois um desceu a escadaria do sótão até ao fundo, o outro ficou a meio e o último ficou lá em cima.

O último, que está em cima é o primeiro a desvendar e ao olhar para baixo para os chapéus dos amigos diz que não tem dados para saber a cor do chapéu dele.



Segue-se então o do meio e depois de desvendar e olhar para o chapéu da frente diz que não tem dados para saber a cor do chapéu dele.

O do fundo diz, já que nenhum de vocês tem dados eu já sei a cor do meu chapéu, nem preciso tirar a venda :)

Qual a cor do chapéu e porquê?



Philo Philos Pachem


Até por acaso

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Querida Amiga!

3 comentários
Estou num jardim sentado,

a pensar que a ti podia estar abraçado.

Mas não te posso tocar nem sentir.

Tenho que te deixar livre e sorrir!

E tento estar aqui contentado

e só me imagino a ser amado.

E para te dar liberdade,

escondo-te a verdade.



E imagino a beleza da flor,

que nasceu do fruto do amor.

Também não lhe posso tocar.

Também não a posso sentir.



Apenas posso imaginar,

pois estou impedido de amar!

E imagino a beleza da flor,

para não me agarrar à dor!







Philo Philos Pachem



Até por acaso

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Conhece-te a ti mesmo

2 comentários
E sentado no retiro, escrevo!

Mas existem assuntos que não me atrevo

e ao encontro dou relevo.

Conhece-te a ti mesmo, escola de sabedoria.

Mas não te prendas á filosofia,

pois a escola prática da vida
vai-te dar a conhecer sentimentos.
Assim quando ficares amigo da Sofia,

vai-te ajudar em certos momentos.

Não fiques com a vida perdida,

por desconheceres as emoções.

Não procures no exterior soluções,

pois o interior é que está mal!

Assim na busca pelo equilíbrio,

vais ao encontro da mente natural
.
E encontrado desaparece o sombrio!

A dor desaparece,

o momento não se esquece,

mas termina o sofrer

e começa a arte de viver.




Philo Philos Pachem


Até por acaso

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

No amar não há depressão!

Sem comentários


Não aceito o condicionamento,

mas entendo a que estou sujeito.

Sou livre, vivo o momento.

Não sou marginal,

tento viver a vida natural.

Muitos dizem que não sou normal,

mas mostram-me fraco entendimento!

E nem conhecem o seu condicionamento!

Andam aqui manipulados,

nem sabem porque ficam frustados!

Vivem uma ilusão!

Não entendem a realidade!

Contentam-se com paixão,

mas não entendem a verdade!

Então surge a depressão,

que impede o ser de amar!

Sofrem da desilusão

e já não amam aqui estar!



Então peço: Ama a natureza.

Terminarás com a tristeza,

mas primeiro tens de te encontrar,

ou nunca voltarás a amar.



Philo Philos Pachem



Até por acaso

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Amar sem ilusão

2 comentários
Não te iludas!

Podes ficar a viver essa ilusão.

Encontra-te para saberes amar

Ou ficarás na cegueira da paixão!

Depois talvez só fiques a gostar.

E perdido em sentimentos,

vais perder os momentos

e a tua capacidade de amar!

Mas não bloqueis, sê inteligente,

mas não sigas só a razão, vai em frente

e surpreenderás toda a gente,

com o teu amor sem ilusão.



E acaba a tristeza,

começando a partilha com a natureza.



Philo Philos Pachem

domingo, 22 de agosto de 2010

Qual a tua anedota favorita?

Sem comentários

Entra o pica dentro do autocarro e vai começando a validar os bilhetes. Chega a um individuo e depois de lhe validar o bilhete quando vai a validar o bilhete de outro individuo é interrompido.
Falta validar este, diz o individuo.
O pica depois de lhe validar o segundo bilhete pergunta:
Porque validou 2 bilhetes?
Ele responde que podia perder o primeiro assim tem o segundo de salvaguarda.
O pica já a rir da possibilidade quase nula do acontecimento pergunta:
E se perder os dois?
Amigo não se preocupe, ora valide o meu passe.

Pergunta-me o que quiseres....

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Em memória de John Lennon

1 comentário
Imaginar todo o mundo em Paz

É para mim uma alegria.

Muitos dizem que não sou capaz

Outros que é uma Utopia

E como entendo a tua Morte!

Mas deixo a minha á sorte.

Porque se em Paz vim,

Em Paz será o meu fim.

E meu amigo, meu agradecimento,

Pelo teu momento.





YouTube Video



Philo Philos Pachem

domingo, 15 de agosto de 2010

Olá amigos

Sem comentários
Olá amigos, reflecti bastante tempo como partilhar as minhas experiências e um blog pareceu-me boa ideia. Mas eu queria falar de tanta coisa que acabei por me distrair e dividir. Criei blogs temáticos, preocupei-me com design e alojamento e conclusão!? Perdi tempo mas não tinha essa consciência. Explicando melhor dividi as temáticas, reflecti sobre temas e não partilhei como devia. Quis sempre ser original, assim todos os blogs expressavam a minha opinião essa era a minha ideia. Dei por mim perdido em temas batidos, pois no tema dinheiro existem muitos blogs, no tema tecnologia igual. Mas não me importava desde que fosse original estava partilhado.

Agora decidi não me dividir e dizer o que penso com sabedoria.

E não pensem que vou seguir Confucio á risca pois a frase que expus dele eu concordo mas mudo-a um pouco, pois para mim ela é mais valida assim:

queres ajudar o mundo, ajuda a tua cidade, queres ajudar a tua cidade, ajuda em casa, queres ajudar em casa, encontra-te.

Anulei o egoismo de preposito pois somos um, temos que nos ajudar uns aos outros.

Assim espero que este blog seja uma grande contribuição para o mundo, e o segredo de viver já esta escrito, quem é iluminado e já reflectiu talvez já se tenha rido, sim porque quando existe entendimento existe sorriso, nada mais.

Mas como tu só sabes o que experiências, vou-te dar mais uma dica, observa o acaso, porque deus não podes experienciar, só o podes amar, imaginário ou não. Mas o acaso amigo, o acaso podes experienciar todos os dias. E volto a ser cientifico, o acaso existe?

Essa está a ser a minha contribuição para o mundo, colocar os humanos a evoluir com consciência. Espero conseguir dar o meu contributo e que as sementes que lanço iluminem muita gente.

Porquê? Porque estar desperto para manipular não é comigo, eu não vou mentir nem manipular pois isso para mim é um erro, e erros já me basta os meus vícios. As minhas sinceras desculpas pelo meu egoísmo nesse aspecto.

Alguns vão sentir a ameaça, mas não me preocupo, pois eu vivo as escolhas que o acaso me dá, essa é a essência natural, vivo o acaso com a minha escolha consciente, eu pratico as boas praticas sempre no caminho da Paz, e aquele que ainda acha que Paz mundial é Utópico, ofende-me mas elimino logo esse sentimento, pois ele tem direito á opção, mas o achar dele mostra-me duvida e eu se tenho que detestar de algo é da duvida, mas não o vou fazer viajar para um mundo imaginário para ele deixar de ter duvida pois isso é criar fé num imaginário.

Assim depois de reflectir twittei:

"se queres ter fé e acreditar, acredita no acaso, pois esse podes experenciar." Tinha deixado a frase até ao acaso, hoje por acaso acrescentei mais uma reflexão á frase.

Assim é a vida, o que é hoje pode não ser válido amanhã, mas hoje fomos perfeitos da maneira que sabemos. Quando soubermos mais ficará melhor, mas não penses no futuro, pensa no agora, pois automaticamente estas a relacionar com o passado e corrigindo agora estas automaticamente a melhorar o futuro.

E se tenho que agradecer a alguém agradeço aos meus amigos pois os acasos levaram-me a onde estou. E o amigo que deu a maior contribuição foi o Osho, mas porque seria a contribuição dele maior do que a do meu amigo que mo mostrou! Disse-o para motivar as pessoas a reflectirem seus pensamentos, para olhar o que já foi dito, porque para já eu pouco ou nada vou dizer que já não esteja escrito num livro, mas prefiro escrever a minha visão, a minha opinião, pois assim estou a ser eu evitando dizer o que já foi dito, mas se digo o que já foi dito é porque sei, ou sinto que está correcto. Tenho sempre um porquê resolvido, porque como já disse ter sabedoria é diferente de ter conhecimento.



Até por acaso,





Philo Philos Pachem

Terminando a historia do iluminado

Sem comentários
Um iluminado não deixa de ser um ser normal, é meramente um ser com
mais consciência e claro que é um ser inteligente. Mas não busca
conhecimento, busca sabedoria. Tenho alguns amigos de que me admiro
muito, são seres sempre em constante evolução. Mesmo iluminado não quer
dizer que não erre. E o facto de viver uma anterior iluminação faz-me
viver melhor esta.
Estava a reflectir o que partilhar pois já tenho pontos para partilhar
mas resolvi seguir Confucio quando diz: "Queres governar o Mundo,
Governa a tua cidade, queres governar a tua casa, governa-te a ti
mesmo".
Então estou a procurar harmonia nos que me amam mais, a convivência em
desentendimento tem que parar, mas da ultima vez fui até ao arriscar a
vida. Desta vez estou por dialogo e afecto.
Vamos ver...
E o artigo tinha terminado aqui mas senti que faltava algo, então
acrescento, iluminado sim, mas buda ainda não, ainda faço mal a mim
próprio fumo tabaco e ganza.
Então lembrei-me que na minha primeira iluminação em que uma amiga me
disse que o mestre lhe disse que ela estava quase, eu na altura olhei
para ela e sorri. Quem pratica boas praticas esta sempre num bom
caminho.
Não importa que religião for. O problema são as más praticas que
cometemos, um perdão não resolve tem que se corrigir o erro, se este for
possível de corrigir.
E estou iluminado, mas só estarei buda quando deixar as minhas duas más
praticas o tabaco e a ganza.
Nessa altura direi que sou o buda zen philo pachem.
E tu que és cientista pensa na hipótese: "o acaso existe?"
Eu já dei a minha resposta, reflecte a tua e responde no questionário.

Até por acaso!






Philo Philos Pachem

sábado, 14 de agosto de 2010

2a iluminação

Sem comentários


No artigo anterior falei um pouco de iluminação e Zen, mas ficou muito por escrever e alguns porquês por explicar.

A 1a ter acontecido como aconteceu mostra-me que assim tinha de ser. E com a minha despreocupação cheguei há 2a por acaso! Que lindo, a minha procura pela paz esta-me a deixar observar os acasos.

Os meus bloqueios já eram  poucos e diminuíram com a vontade de alguns amigos que praticam métodos propagandistas. Então eu li:

-ilumina-te, para o mundo ter paz

 e amor.

Não existe mentira na frase, mas existe a possibilidade de o ser que ler fique preso á ilusão desse amor, dessa paz.

Mesmo usando só iluminação pode leva-lo a caminhos budistas com essa ilusão.

A iluminação é extraordinária, mas nada de ilusões, pois todos iguais, todos diferentes, todos com opção.

Não se percam no conceito de amor. pois só saberás do que falo quando experenciares e sentires.

E pela razão já há quem conseguiu, se encontrar, mas ai duvido da parte sentimental. Como aconteceu como comigo vou explicar, será o meu primeiro livro  com o titulo:"Porque penso ser quem sou!

Na segunda chorei duas vezes, uma pelas crianças, outra pela minha mãe.

Na primeira chorei quando olhei para a televisão, na segunda a pensar nas crianças e pela minha mãe pois deixei de mentir (andava á quase um ano a enganar toda a gente, medica e família). Neste aspecto tive que ir contra os meus princípios e se não o tivesse feito não teria chegado á iluminação outra vez assim não estou arrependido do que fiz, não aprecio mentiras, mas agora sei que mesmo tendo levando com químicos e terem-me feito mal ao corpo e à mente, que é possível atingir na mesma. E o pensamento que será que consigo morreu.

Assim cá estou novamente, cheio de vontade de partilhar.

Olá mundo, amo-te muito e vou mostrar o meu amor por ti.

O meu agradecimento a todos os que contribuíram, pois no acaso da primeira foram uns  e na 2a outros.Ser o observador e observado é complicado. Mas é tão bom sermos nós mesmos.



Espero partilhar mais momentos do acaso brevemente mas senti que estas palavras eram precisas ser escritas primeiro. Não quero por a carroça á frente dos bois.



Tenho dois livros para escrever, e vou escrevendo e partilhando momentos.



Até por acaso







Philo Philos Pachem



Relacionados:





Artigo anterior

Poema da 2a iluminação: Amar estar e ser

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Amar estar e ser

Sem comentários
Sou realista com amor

E já não amo filosofar.

Amo a arte de filosofia praticar
.
Muitos pensam: Que tristeza!

Mas eu amo a natureza.

E se não sentes seu amor,

Sentes sua dor,

Mas és egoísta

Pensas que a dor é só tua,

Mas é de todos!

Esta é a verdade nua.




Philo Philos Pachem

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A criança, a iluminação e o Zen

Sem comentários
Iniciar o dia a pensar como abordar um tema complexo de uma forma simples foi o meu desafio. Não queria tornar-me mais um a escrever palavras dos outros. Como falar de algo que só pode ser sentido, vivido! Mas eu queria falar sobre a iluminação, algo que não imaginei que alguém estivesse interessado até verificar que existe quem procura entender.

Mas falar de algo tão antigo!

E tive que vir a casa, pois escrevo ao ar livre e fiquei sem bateria. Deixo o telemóvel a carregar e desço (vivo num 5o andar). Sentado nas escadas da entrada observo uma criança e nem imaginam a delicia que aquele momento foi para mim!!

Está aqui um excelente exemplo, pensei eu com um sorriso encantado!! Que lindo!

A criança estava tranquilamente e sem dúvidas a fazer o mais correcto. Apanhava o lixo do chão da praceta e colocava-o no caixote. Sentado na esplanada do café, o pai ainda disse: - larga isso que é caca. A criança expressou-se então verbalmente: isto é lixo. E continuou a sua tarefa.

Terminei o meu cigarro (erro que ainda não deixei) e dirigi-me ao caixote para deitar a pica. Disse-lhe que o que fez está correcto, mas para ter o cuidado de não ir com as mãos á boca até lavar as mãos.

E fez-me lembrar os momentos em que depois de acordar decidi fazer o mais correcto, decidi mostrar em vez de só falar. Então eu não discutia, limitava-me a colocar as picas no lixo, quer as  já no chão quer as acabadas de atirar para o chão. Era impressionante, tantas reacções diferentes para algo tão simples. A lógica é básica cometeste um erro, não há problema eu corrijo. Em 3 dias vi a diferença, alguns tentaram gozar mas eu sorria, fazia-o com uma tecnica e graça que admirei muita gente. No combinado de acções ao fim da semana era um santo aos olhos de alguns, um louco aos olhos de outros! Compararam-me a S. Francisco, não faço ideia do que ele fez.

E andava pela cidade livremente, cumprimentando toda a gente de forma diferente pois o cumprimento era sentido, dependia da expressão do outro.

Assim vivi os dias mais livres da minha vida, mais intensos onde tudo que observei ficou realmente registado.

Mas fui mal interpretado não tinha conhecimento do verdadeiro condicionamento a que estou sujeito, assim fui julgado e o que me fizeram apenas aceito e entendo. Confiava na ciência e nunca pensei que executassem antes e falassem depois. Verifiquei que mesmo depois, com palavras não seria entendido. Não perdi memória, o raciocinio ficou abalado, mas o que perdi foi a quimica. Para tentar explicar a quimica defino, a mesma quimica ou parecida, de um ser apaixonado, é diferente mas é o mais proximo de descrever.

Assim concluí que a sociedade como esta idealizada não pode permitir humanos livres logo não permite iluminados. Qual a vantagem para um estado ter cidadãos que nâo se deixam condicionar?

A anarquia mete medo, o pessoal só imagina violencia e caos mas a realidade natural prova o contrario que a anarquia é a ideologia mais natural e mais simples. Vão-me julgar como se eu não soubesse o que estou a dizer mas procuro um mundo de Paz, a ideologia e a religião são meras tretas condicionativas. E não precisamos idealizar, temos que viver.

E conseguirás tu ficar rebelde e destemido num caminho de Paz onde a tua arma é meramente a palavra ou o silêncio, onde as tuas acções só afectam positivamente?

Terás que te re-educar sozinho, só o autoconhecimento é válido, pois a experiência é o que é verdade para ti, procura como autodidacta e quando viveres sentindo, estarás sempre sorrindo, mas isso escrevi eu, não confies. Que a tua consciência te mostre o caminho. E aí mostra-me quem és, lembra-te é que não és nem só o corpo, nem só a razão, nem só a emoção. Não cries dualidades no teu ser, sê quem és em unidade, funde-te e mostrarás a tua originalidade. E na tua individualidade única vais conseguir amar-te e amar os outros e perceber que neste mundo imperfeito o humano tem medo de evoluir. Se conseguires não sejas mais um que tem medo de mostrar quem é.

E assim começa o Zen, sem religião, sem dogmas, sem filosofia. Até ao momento tudo está perfeito, não está melhor meramente porque ainda não sabemos mais. Ou sabemos e temos medo?



Saudações  Joviais e Paz





Philo Philos Pachem

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

O Acaso e o amor

Sem comentários


Acabei de ver, "Nada é por acaso" neste video partilhado por uma amiga pensei encontrar algo filosófico, mas não, é uma mensagem de amor!!

Será assim tão comum fazer associações de amor com o acaso?

Claro que sim e pode-se explicar facilmente. Tudo que é aleatório é natural! Querem provas observem a natureza. No humano tudo fica fora deste contexto porque nós condicionamos e controlamos com base em ideologias que nos permitem ter algo a que chamamos de segurança, estabilidade e paz. Este condicionamento cria distancias da linguagem natural, obrigando o individuo a agir fora dela ou seja acções controladas de forma pensada, com objectivos. Quando algo foge ao pensado, o individuo faz a associação do acaso! Mas normalmente esta associação é feita quando? Depois da ocorrência do acaso, porquê? Porque foi diferente, belo, por momentos foi fluido com perda de noção de tempo, ou até realizou inesperadamente algo esperado. Assim é a natureza das coisas, sem noção de tempo, sem objectivos, só existe paz, harmonia, existe o nada que é tudo, existe amor.

Por tempos pensei que reconhecer e saber viver estas ocorrências do "por acaso" dependeria do conhecimento e seria uma boa forma de vivê-las, mas dei por mim sempre a olhar para o passado!

Andava atrás do belo, na expectativa e só depois de acontecer é que pensava, que belo momento que foi! Vive-se o agora. Ao não esperar, não idealizar, ao ser simplesmente eu não tenho desilusões e tudo se tornou belo, por acaso!

Assim para mim, tudo é por acaso, assim é a natureza. Nós tentamos fugir ao acaso, porquê o medo?

Se o acaso é assim tão belo, se ele é amor, quem pode ter medo?

Porque tudo é por acaso, e por acaso leste isto, talvez um dia por acaso sintas e assim todas estas palavras desaparecem.

E com um sorriso me despeço. 



Philo Philos Pachem



Artigo original: O acaso e o amor

Video que desplotou estas palavras: http://www.youtube.com/watch?v=0mlIJGRWnwY

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Libertem francesa que matou os putos!!!!

Sem comentários
Atenção, se a morte ou matar lhe mete medo recomendo que pare de ler este artigo. O assunto é muito delicado e no fundo vou defender a mulher que já chocou muitos e que muitos já julgaram.

Mas para entenderem onde quero chegar tenho que começar por falar na definição de vida humana. A ciencia por conveniencia define que o feto só é humano após algumas semanas da fecundação e o aborto é permitido até aí! Para mim, tretas! E soluções para depois disso? Não há! Seria matar um ser vivo!! Para mim a vida começa logo depois da fecundação e a palavra aborto é o mesmo que dizer morte consentida, mas a malta tem medo da morte por isso tanto pormenor e tecnicismo. Na pratica é sempre matar.

Deixando de lado a hipotese que a decisão foi tarde demais vou formular ainda outra hipotese. Imagine-se que existe má formação no feto e com os metodos que temos existe 85% de hipotese do feto nascer defeituoso, o aborto é permitido, mas porque tenho eu de confiar? Porque não posso eu verificar no final e se realmente se verifica anormalias então morte consentida pelos pais.

O mesmo será válido para a hipotese anterior dando ainda mais opções, pois deixa-se nascer e os pais decidem no fim, permitindo a morte concentida , a adopção ou mudarem de ideias e ficarem com. A escolha deve ser do casal.

Legalmente a criança só devia de ganhar os direitos depois de registada no sistema antes disso os direitos do casal primeiro, assim seria morta á nascença ou registada para os pais criadores ou adoptivos.

Não vejo problemas legais nenhuns assim, apenas mais opções ao cidadão aumentando a sua liberdade.

Sei que o acto de matar faz confusão, sei que parece tribalesco, eu considero normal da forma como coloquei.

Vou expor mais um caso, imagine-se que existia a hipotese de má formação, o casal decide não abortar, o puto nasce com um pequeno defeito no coração. Os médicos têm a perfeita consciência que o puto não vai durar muito mas não conseguem determinar o tempo. E como não o podem matar mesmo com o concentimento dos pais, fazem como na maioria das religiões! Fazem os pais acreditar numa hipotese! E a hipotese de um transplante aparece e cria a esperança!

Duas palavras para enganar a mente! Acreditar e esperança! Palavras de crentes que vivem de hipoteses!

Mas o transplante não acontece e o puto morre pouco antes de ir para a escola.

Agora pergunto, qual sofrimento é maior?

O de o matar logo ou o de o ver morrer com 5 anos de partilha emocional?

Sei que é relativo, por isso deve haver escolha, posso aceitar a partilha sabendo que é de pouca dura como posso terminar logo com o assunto.

Mas ainda se consegue ver um problema!

Imagine-se, um casal naturalista, não existem metodos contraceptivos, nem preservativo nem pilula. Passavam a usar esta opção como metodo contraceptivo!! E depois? O aborto também pode ser! Tinham opções, porque não se confia na consciência humana?

E agora já devem ser capazes de entender melhor porque não se devia julgar a francesa que matou uns poucos de putos que não entraram no sistema. Sei que o primeiro e o segundo devem ter custado, depois foi uma festa, atingiu uma certa normalidade e começou a ser banal!

Não bastou o sofrimento de mãe pelo menos dos primeiros? Será que não sofreu com todos? Aprendeu a aceitar!

Quem somos nós para julgar?

Qual a dificuldade de aceitar?

Deixem a mulher viver livre que não fez mal a ninguém "registado" no sistema.



Origem deste artigo:



libertem francesa que matou os putos!!!



Notícias relacionadas

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=1629761



Philo Philos Pachem

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Não te esqueças de ti! Esquece a droga.

1 comentário
Estive num curso de Video, a aprender conceitos e a mexer no adobe premiere, no fim foi-nos pedido um trabalho de grupo.


O tema do meu grupo era a droga.


Assim fizemos este video de sensibilização.










Philo Philos Pachem