Omninvi :: Invii demanda sapientia

Um doidivanas mostra o seu saber por intermédio das palavras e um pouco da imagem. Poemas, opiniões, revisões. Uma mistura de sociedade e tecnologia. Com temáticas conforme me vou lembrando de escrever.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Não sou rebelde

Sem comentários

Não sou rebelde,
pois esse morre cedo.
Falo verdade,
Mas não revelo o segredo.
Ganhei medo.
Sou agora um covarde,
Mas existo no presente,
Sempre pronto a transmitir,
apenas a quem quer ouvir.
Qualquer outro não entende,
pois do agora está ausente,
e preso na mente,
vive a sonhar,
sem saber realmente,
que está cá para amar.
Assim sou covarde,
e até á hipocrisia, mostro amor,
ela é produto da sociedade,
Escondem tanto o seu eu verdadeiro,
que ele se torna prisioneiro!
Escondem-se por detrás de estatuto,
rebentam quando aparece o ser astuto!
Vivemos a ilusão que criamos,
E continuarei covarde,
Pois, não está perfeita esta realidade?
Não posso viver nesta verdade,
tudo demasiado transformado,
tudo demasiado destruído,
despreocupação pela origem,
desconfiança no político,
confiança na marca e no produto.
É esta a nossa viagem?
Apelo ao sentido crítico!
Procura a origem de qualquer fruto,
não te deixes enganar,
tens o direito de questionar,
O direito de saber,
muito andam a esconder!
E afinal, não sou o único covarde,
muitos escondem a verdade,
produto da manipulação,
chamam, governação.
Mas esconder da população!
Não haver informação!
Não se fazer referendo!
Manter o assunto na ignorância,
e assim o povo não deu importância!
Já ninguém quer ser rebelde,
a vida sacrificar?!
Para quê na realidade?
Voltará o governar,
E os erros continuarão.
Luta sem armas demora,
mas um dia de cada vez,
dias contados tem esta ilusão,
que há milénios que o humano a fez,
e para se ver livre dela,
tem primeiro que a aceitar.
Só depois a janela,
para o erro corrigir.
Pensa no agora.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Guterres na ONU?!

Sem comentários
Ninguém sou para julgar e muito menos aquilo que não observei. Por aqui pelo nosso Portugal, lembra-me um homem socialista, ou seja alguém que consegue ter ideias numa linha dita de esquerda, que nada mais é do que pensar no todo e defender os mais necessitados.
E ter essa visão num mundo que se torna cada vez mais capitalista e sem rumo, sem valor pela vida, pela natureza, numa luta entre patentes e capitais, onde os ideais de outrora foram substituidos por um único poder, a moeda, o capital. Aquilo que considero o erro inicial exponenciado, a economia, esse é o poder actual. Numa visão pelos numeros estatísticos, pelo dinheiro, sem a minima preocupação pelo individuo singular, sem a preocupação de tocar no erro inicial e corrigi-lo.
Assim a própria visão futurista, leva-nos a sentir que a Paz é impossível, mas a Guerra não leva a soluções, deixando um vazio ideológico e um espaço de manobra para frentes terroristas terem argumento, seres que nada mais procuram que vingança e usam os problemas da sociedade actual como refugio e arma.
E num mundo caótico mas organizando portanto entrópico, existe sempre a necessidade de melhorar a organização, de satisfazer maior numero, contudo as bases não são iguais para todos e portanto lutas para a Paz, implicam sustentabilidade e igualdade no todo, mas o humano ainda não entendeu que é um, e assim ainda não somos uns para os outros, a desconfiança ainda é constante.
Não sei que rumo dará o nosso Guterres a uma organização que já é posta em causa a sua existência, mas poderá ser uma organização que tanto ajudará a criar Paz no Mundo como ajudará a manter a guerra, pois na realidade é uma organização Mundial, mas não ouve todos os lados e faz vingar interesses de governos, que internamente se mostram incapazes, inefecientes e sem vontade de resolver os problemas Internacionais pois acima de tudo, foram sempre incapazes de resolver os problemas internos.
Por um lado fico contente por ver um português ambicioso, que deseja Paz e está no caminho que se construiu como o politicamente mais correcto para o efeito, mas o mundo está politicalizado há imensos séculos e estar num cargo nada significa, o que se faz no cargo é que mostra, e isso ainda não se pode julgar, pois está a iniciar.
Por outro lado ainda tenho a tristeza original, pois continuo a ver politiquices e pouco efeito, num Mundo onde cada vez mais se constroi problemas em vez de criar soluções.
Assim fico com a dúvida se o nosso Guterres é parte da solução ou mais um parte do problema.

domingo, 21 de agosto de 2016

Vila flor, terra de produtos e sabores

Sem comentários


Sendo a terra onde nasceu a minha mãe é normal a visita, mas hoje foi um dia especial, a inauguração da festa e da feira.
No discurso de inauguração o presidente da camara fartou-se de homenagear o engenheiro Magalhães, este tem pelo que percebi ajudado ao desenvolvimento dos projectos na terra, e no seu discurso, referiu algo que achei interessante e importante, a mudança do produto foco. Isto porque frisou que o produto chave do agora mudou, o que antes era essencialmente vinho, no agora está essencialmente azeite.
A reforçar o dito no discurso, saliento como exemplo, um queijo conservado em azeite, dando-lhe um sabor um pouco diferente pois nota-se o azeite, contudo se não interessar é possivél, deixar o queijo ao ar e depois da secagem, o sabor a azeite pouco intenso fica, deixado em azeite fica conservado e com o seu sabor tradicional, um produto 100% transmontano da Quinta da Terrincha.
De salientar também o projecto da Queijaria Vaz, que segmentou os seus produtos essencialmente em queijo de ovelha, tendo um deles, por dois anos consecutivos, o título de melhor queijo de ovelha do país, no concurso queijos de Portugal. Sendo o queijo de ovelha a especialidade, conseguiram ainda assim ter várias variedades de queijo de ovelha, sendo um deles curado com malagueta, tornando-o picante, mas não abusivo, adorei todos e nem sou grande apreciador. Outros produtos disponíveis são o queijo de cabra, requijão e queijo fresco.
Mas a terra tem mais produtos para oferecer como azeitona com cura natural, azeite, mel, améndoa com casca ou miolo, e certamente que se visitar ainda descobrirá mais, como por exemplo alheira.
A terra dos produtos e sabores está cada vez melhor desenvolvida, e espero que para o ano a feira continue com um sucesso ainda maior.


quinta-feira, 21 de julho de 2016

Foste esquecendo...

Sem comentários

Foste esquecendo a cor dos teus cabelos,
queres esquecer que tens pêlos.
Não queres o teu perfume,
escondes o teu cheiro!
Escondes quando estas em lume,
desrespeitas o parceiro.
Tudo porque foste esquecendo...
Esquecendo que és o ser dominante,
que provocas desejo num instante.
Que teu perfume é fascinante,
que nada precisas forçar,
consegues tudo a maravilhar,
colocas todos a adorar,
e teu desejo consegues conquistar.
Volta mulher, ao teu amor,
pois desiquilibrada provocas dor.
Amar é a tua natureza,
faz com subtileza,
faz crescer a gentileza,
pois um mundo sem amor,
é que se torna pobreza.
É teu dever ajudar,
a amor o mundo conquistar.

-- Philo Philos Pachem

segunda-feira, 18 de julho de 2016

E sou uma flor...

Sem comentários
E sou uma flor, mas como em local árido, poucos são os que a entendem, poucos mais os que tentam amar, alguns até já tiveram o desejo de a destruir. E ela até esse desejo dos outros ela já sentiu, mas existem desejos mais fortes, os desejos dos que pouco entendem, mas reparam e tentam imaginar como é possivel uma flor em tal local! Os desejos dos que já sentiram um pouco do seu cheiro, mas respeitam os limites. E na flor existe o desejo de vencer, e sendo única o desejo que todos consigam cheirar o seu cheiro, sempre em respeito, para que todos possam perder o medo e consigam. E a flor vai conhecendo o seu meio, o que lhe é provocado, mas extrai do solo apenas o que quer, o que sente necessário. Nunca deixando que o seu desiquilibrio perturbe as defesas naturais, pois quando tal acontecer a morte estará por um fio. Contudo houve quem até já adormecesse a flor para a estudar, momentos que a flor tem noção de que existiram, mas nada recorda, tudo lhe foi provocado, foi movimento forçado e leis naturais deixaram de ser cumpridas. A flor ficou triste pelos actos, feliz por estar viva. Ficou num local condicionado, deram e forçaram a mais. Acharam e fizeram o melhor para a flor, mas estava num vaso. E com mais energia, quando a flor foi devolvida à sua natureza, ele demorou a equilibrar, mas agora produz um cheiro tão suave, que seres mais sensiveis sentem o seu cheiro. E atingiu a flor a sua totalidade, e continua a querer fazer cumprir o seu desejo. Que todos tenham o prazer do seu cheiro. -- Enviado de Fast Notepad

domingo, 17 de julho de 2016

De que me serve a sabedoria?

Sem comentários

De que me serve a sabedoria?
Tal responsabilidade! Não queria!
Tentei delegar para a Sofia,
mas bateu-me na porta, a mim queria.
És tu que tem a energia!
E esta afirmação foi sentida,
fui obrigado a sentir vida.
Do corpo tentei fugir,
a esta dimensão, dizer não,
fácil tentar, dificil conseguir,
tenho que cumprir,
é minha obrigação.
E a energia é tão forte,
que não existe sorte,
existe consequencia,
do erro em frequencia,
pois a  tal consciencia,
pouco erro é permitido,
tudo é sentido,
e com sensibilidade,
ao todo é mostrada verdade,
das minhas sementes não verei fruto,
tantos antes de mim tentaram,
ainda sofro do produto,
pois tantos não experienciaram,
que ainda vivemos insanidade,
produto de fraco amor,
estado que existe em equilibrio,
estado que é tendencia natural,
mas ainda é provocado tanto desiquilibrio,
que a dor é normal.
Porque faltas tanto ao respeito?
Não temos escritas as leis certas,
temos mundo em incumprimento,
um mundo sem metas,
humano sem objectivo,
a adorar o subjectivo,
a comunicar mal,
achando normal.
E insanidade temos no agora,
que vontade de ir embora,
saber que tudo está igual.
Humano em ignorancia,
a achar que faz bom uso de inteligencia,
achando-se o topo racional.
E até naquilo que chamamos de ciencia,
o erro inicial,
esta a demonstrar a inconsciencia.
E enquanto o erro inicial não for corrigido,
jamais amor total será sentido.

sábado, 9 de julho de 2016

Manifestações cósmicas

Sem comentários
Tentemos imaginar as presenças cósmicas, e simplificando dois cosmos, um em explosão outro em implosão, e ficam em inversão, um cria partículas e movimento, equilibra sistemas em movimento. O outro anula partículas, anula movimento e espaço. Ficando entre estes dois a presença de não presença, o não espaço, não tempo. Um cria tempo, ciclos periódicos quando já em equilíbrio, o outro anula o tempo, anula os ciclos, obtendo equilibrio privando o movimento. O neutro é a excepção, a raridade, o que não é, nada precisa, nenhum movimento existe, nem é ele que provoca a sua existência, nem o seu limite. Agora imaginem estamos num em explosão, cada ser é uma manifestação explosiva, um fruto igual ao seu cosmos, um ser humano é um semi-deus, um mini cosmos, nasce com os sistemas em equilibrio, o desequilíbrio é provocado. Imaginem os semi deuses unidos para o equilíbrio e para a igualdade, em amor, verdade e respeito. Amararia viver esse estado, ter esse agora. -- Enviado de Fast Notepad

Tanto movimento desnecessário!

Sem comentários

Estava de directa, mas tinha vontade de equilibrar algo que ajudei a desiquilibrar. Faço sempre a tentativa para o equilíbrio, tentar amor. Assim fui dar dois maços de tabaco a uma amiga e fui ficando... Sou bem acolhido e mesmo dentro da aceleração, produto da sociedade insana trazido para dentro das paredes, estive sempre na minha, equilibrado. Um dos amigos já não extraviava faz tempo e pelos vistos foi momento. Assim se conhece melhor o ser, muita verdade foi dita, contudo o desequilíbrio aparece no seu máximo. Aí a minha tentativa de equilíbrio levou o ser para a cama e fiquei um pouco triste com algumas atitudes negativas dele, um ser que conheço à pouco tempo e parece honesto e boa pessoa. Os outros habituados, na aceleração tentaram equilíbrio mas em vão. E para mim foi triste mas normal, mas trazer a sociedade insana para dentro de casa, um local de paz e conforto é insano. A casa deve ser um local de culto de paz e equilíbrio onde todos estão bem, e várias vezes referi e pensei... Quanto movimento desnecessário! -- Enviado de Fast Notepad

sexta-feira, 8 de julho de 2016

O cosmos nunca se engana!

Sem comentários


E hoje deu-me grande lição. Depois de dormir será tempo de voltar a zero e governar bem. Mas antes o cosmos hoje deu-me grande lição e está ficará para a vida e quando acordar só tenho que cumprir. Era meia noite e um quarto e tinha decidido só mais quinze minutos e iria embora de casa de uns amigos que estou a adorar conhecer e onde criei um afecto especial por um cão especial. Fui-me deixando levar, bebi pouquíssimo mas bebi e fumei de duas ervas. Quando saí depois de diálogos de observação sobre artesanato, trouxe comigo um papel. Já tinha objectivo de passar em um dos locais habituais e usar o desperdício dos outros. Ou seja aproveitar boas picas e fazer o meu. Como em erro continuado lógico que não iria seguir todas as leis! Passo pelo primeiro local e ainda pessoal, decido nem passar e continuo para o segundo, foi pouca quantidade e como sou forçado a mais movimento para cumprir o desejo de vício, pensei logo que tanto esforço já mereceria dois. Quando chego ao terceiro local tenho direito a um papel no chão, agradeço logo a Deus e digo-lhe como é grande. Ai consigo fazer o meu e ainda ter papel para o segundo. O segundo leva a voltar ao segundo local e infelizmente ainda três, acho não haver problema e a observação acaba por não ser a melhor, existe vontade em dar uma lição por violência, e noto logo em dois depois de parar e aceitar diálogo. Percebi o momento que quiseram ir buscar, e um esperou o momento de explicar o que fiz para fazer igual, foi as mãos de um deficiente, um vingador que não entende que apenas tratei como um igual e dei o estalo porque ele tinha agido mal e magoado fisicamente, ainda tenho a marca e podia mostrar se ele tivesse dado oportunidade, mas não era esse o interesse foi justiça pelas próprias mãos e sem ter observado, logo um mau juízo por natureza, deu-me um estalo, perguntei se estava satisfeito ele disse que sim. Então não sugiri outro. Mas como referi que estavam cheios de vontade em me bater, um outro dá um pontapé, assim pode dizer que participou na vingança, o terceiro elemento apenas assistiu, nada fez. Ainda fumava e vim embora sem o próximo e com um estalo e um pontapé. Fui básico em aceitar diálogo mas foi bom ter estudado o nível e os limites. E sinceramente fez-me bem, para o defeciente foi o vingador, para mim será o heroi. Isto o que deu o estalo, esse entramos em entendimento ele agiu no agora por revolta, eu à pouco mais de um ano agi por afirmação e tratei como igual. Desde então que não me dirige a palavra, não liga e bloqueou-me na famosa rede social. O seu primeiro vingador foi mais coerente e entendeu que não foi nada de mais e a abordagem foi outra e nesse mesmo dia já tinha levado dose de violência que chegue e ainda levei com dose emocional forte. Hoje este acto de básico fez-me pensar em outras coisas. Porque agi como básico? Porque não usei a minha sabedoria? Porque não cumpri o desejo inicial? Como mudei tão rápido para o desejo de vício! Estar a 70% achei fraco, ainda assim não fui totalmente básico e continuei a afirmação por dialogo e não usei violência. E entendi que não posso ser um mestre corrumpido e vou ter que reiniciar para a origem, se quero cumprir o meu desejo primário e cósmico. Assim quando acordar vai haver mais mudanças ainda mais do que esperado tudo graças a um estalo. Muito grato, tu ficaste satisfeito e eu também. O pontapé é para esquecer, o cosmos resolve por mim. O estalo eu agradeço logo sendo um equilíbrio cósmico quem praticou não deverá ter grandes problemas e dada a dimensão não foi nada de especial logo poucas consequências. E para eles eu meto nojo. Eu apenas vou voltar ao cientista inicial, buda, com ligeiras mudanças. E deixar os outros um pouco de lado por agora. E tudo isto sempre a ouvir em repetição uma única música, Estou além - ansia de vencer, do album de 2007 dos Super Dragões, um house comercial para a massa, uma boa rima e siga a melodia, continuar a lutar, e como já afirmei serei ainda mais portista quando vir equipa de escolinha, homens com a raça do Norte a fazer tudo, sem necessidade de nenhum estrangeiro, nem custos em vedetas, custos na escolinha isso sim a melhor ciência e técnica especializada e deixem lá as cunhas, não dá frutos que experimente outra arte. Numa altura em que me deu para ouvir som sobre futebol porque Portugal está na final e temos contas a ajustar com a França, vamos ver, força Portugal e Carpe Nunc e em cada agora o foco é equipa unida e focada no agora para cumprir o vencer. A cada agora a equipa mexe como um todo, não se foquem só na vedeta, mas ela no todo da equipa mostrará, se não conseguir mostrará fraca adaptação à equipa e se a equipa mostra fraqueza perde inevitavelmente. -- Enviado de Fast Notepad